Staphylococcus

Por Marilia Araujo
As bactérias do gênero Staphylococcus apresentam coloração Gram-positiva e são consideradas agentes patogênicos para os humanos. Organizam-se em grupos que se assemelham à cachos de uvas, com formas esféricas de cocos.

Os representantes deste grupo são anaeróbios facultativos, vivem muito bem com ou sem oxigênio. Porém, se o meio em que estiverem não fornecer oxigênio e tiver uma temperatura por volta de 37°C, o seu desenvolvimento será potencializado. E é exatamente isso que preocupa muitos pesquisadores: esse desenvolvimento otimizado por uma temperatura equivalente à do corpo humano. Os estafilococos que são patogênicos trazem muitos prejuízos, entre eles está a coagulação sanguínea. Mas podem formar abscessos, supurações e outras infecções que podem evoluir para uma septicemia. As mais importantes espécies são:

  • Staphylococcus aureus
  • Staphylococcus epidemidis
  • Staphylococcus saprophyticus

São organismos fáceis de cultivar, pois não precisam de um alimento específico para isso, apenas que este alimento seja rico em nutrientes.

Outro ponto preocupante é que desde que foram descritas oficialmente, essas bactérias eram sensíveis aos antibióticos. Mas com o uso desmensurado pelas pessoas, seja pela cultura ou pela falta de conhecimento, o potencial real do medicamento foi “banalizado” pela maioria das bactérias que adquiriram resistência. Um exemplo clássico é o da penicilina: quando surgiu, a penicilina se tornou o principal (e para muitas pessoas o único) medicamento no combate das mais diversas mazelas. Foi então que esta substância logo se tornou coloquial e graças à este uso desmedido, as bactérias se tornaram resistentes. E como numa sequência lógica, outros medicamentos foram criados e com o tempo foram também ficando obsoletos. Cepas bacterianas resistentes são mais comuns e mais frequentes em hospitais, cerca de 99%. Já fora desse ambiente o índice é mais baixo, mas ainda preocupante: cerca de 60%.

É quase impossível se defender dos estafilococos, eles estão por toda parte e pela extensão do nosso corpo principalmente. Com isso, a transmissão pessoa-pessoa é inevitável, mas a higiene é necessária para tentar conter uma eventual proliferação agressiva e anormal dos estafilococos.

A intoxicação alimentar é um problema sério, especialmente a causada pela endotoxina estafilocócica termoestável. Ocorre através do consumo de alimentos lácteos (matriz e derivados do leite) contaminados. Mas outros alimentos que são ricos em nutrientes também são o habitat ideal para essas bactérias. A manipulação sem a higiene adequada das mãos é substancialmente um fator determinante para a dissipação dos estafilococos.

Bibliografia:
http://microbiologia.com.sapo.pt/staphylococcus.htm
http://www.portaleducacao.com.br/biologia/artigos/2272/staphylococcus
http://pt.wikipedia.org/wiki/Staphylococcus
http://www3.niaid.nih.gov/labs/aboutlabs/lhbp/pathogenMolecularGeneticsSection/