Inteligência Espiritual

A Inteligência Espiritual é um terceiro complexo de faculdades intelectuais, o qual insere nossas atitudes e vivências em uma contextura irrestrita de significação e valor, dando-lhes um caráter mais consistente. Hoje ter um nível mais elevado de quociente espiritual – QS – torna o indivíduo apto a exercitar uma existência mais plena de significado.

Desta forma a inteligência espiritual implica em se ter o poder de acreditar em uma psique criadora e cósmica, bem como na possibilidade de se relacionar com ela; saber que esta dimensão existe amplia a fé humana. Traduzindo, quanto maior a consciência da presença divina, mais o Homem vivencia e se relaciona com Deus.

O Mestre esclareceu a Humanidade sobre este legado, propiciando a compreensão desta esfera, através da sua própria prática da Inteligência Espiritual, exemplificando a necessidade da reforma íntima para que se possa alcançar serenidade interior e um meio mais adequado para o aprimoramento espiritual e a revelação de valores e sentidos renovados para a existência.

O fator de Inteligência Espiritual amplia as perspectivas humanas e sua inventividade, além de estimular o indivíduo a seguir sempre adiante. Através desta capacidade o Homem é capaz de transcender os desafios da jornada e resolver as questões de significado e valor. Este quociente está intimamente vinculado à carência humana de finalidade, de decifrar o sentido de sua vida.

Esta concepção é bem vasta e vem sendo ainda mais aperfeiçoada ao longo dos anos pelos pesquisadores. Ela engloba temas como o propósito da existência; o desenvolvimento de virtudes; a aposta na fé e na esperança como instrumentos para enfrentar os obstáculos da caminhada; a esfera metafísica e espiritual do ser humano; a compreensão do significado da genuína liberdade, a qual se desdobra no perímetro estabelecido por normas éticas e morais; a liberação, no ser, de energias negativas e destrutivas; os testemunhos de Jesus; os valores não adquiridos por recursos materiais, entre outras tantas questões.

É importante perceber que a inteligência espiritual pode ser ampliada conforme o Homem se relaciona com a consciência do Criador. Até princípios do século XX o QI ou quociente de inteligência era o único elemento oficialmente aceito pelos meios científicos para a aferição da inteligência do ser humano. Os anos 90 foram marcados, por sua vez, pelo aparecimento da inteligência emocional, que já revelava a insuficiência do fator intelectual, pois ele nada podia definir sem a contribuição da dimensão do campo emocional.

O século XXI, por sua vez, desperta para a realidade da Inteligência Espiritual, sem a qual não se pode compreender verdadeiramente a vida humana. A física e filósofa norte-americana Danah Zohar e seu cônjuge, o psiquiatra Ian Marshal, vêm comprovando a existência, no cérebro humano, de um setor do qual irradiam as vivências espirituais do Homem, o “Ponto de Deus”.

Vários setores empresariais começam a se interessar por essa nova medida da inteligência, já visando aprimorar esta esfera humana, para que assim o ser humano possa encontrar em suas tarefas profissionais um maior significado existencial. São blocos corporativos que, além do lucro, visam também agir no meio em que promovem seus produtos, seja em questões ambientais, educacionais, seja na área da saúde.

Fontes:
http://www.engenhariaespiritual.com/index.php?option=com_content&task=view&id=14&Itemid=28
http://www.universocatolico.com.br/index.php?/a-inteligencia-espiritual-o-ponto-de-deus-no-cerebro-humano.html

Arquivado em: Psicologia, Religião