Papa João Paulo II (Karol Wojtyla)

Karol Wojtyla nasceu no dia 18 de maio de 1920 em Vadovice na Polônia. Karol foi apelidado de Lolek pela mãe quando criança.

Aos 21 anos já havia perdido toda sua família, sua mãe morrera em 1929, seu irmão mais velho, Edmund por quem nutria grande admiração e que estudava medicina, faleceu alguns anos depois vitima de uma epidemia num hospital. Perdeu o pai em 1941 durante um rigoroso inverno na Polônia.

Antes de virar padre em novembro de 1946, Karol foi ator e roteirista na cidade de Cracóvia, trabalhou como britador em uma pedreira.

Em 1942 começou a estudar teologia na Universidade Jaguelloniana onde teve que viver escondido, junto com outros seminaristas que foram acolhidos pelo cardeal de Cracóvia.

No dia 1º de novembro de 1946 foi ordenado padre no Seminário Maior de Cracóvia. Realizou sua primeira missa na Cripta de São Leonardo na Catedral de Wavel. Doze anos depois, em 1958 foi consagrado Bispo Auxiliar do Administrador Apostólico de Cracóvia. Participou ativamente do Concílio Vaticano II principalmente para elaborar a Constituição Dogmática sobre a Igreja Lumen Gentium e a Constituição conciliar Gaudium et Spes.

Quando o Bispo de Cracóvia morreu em 1964, Dom Wojtyla o substituiu e dois anos depois o Papa Paulo VI converte Cracovia em Arquidiocese, e em 1967 foi criado Cardeal pelo Papa Paulo VI. Com o morte do Papa em 1978, participou do conclave que elegeu o Cardeal Albino Luciani, o “Papa Sorriso”, que morreu 33 dias após sua eleição. E em 16 de outubro de 1978 Karol Wojtyla é eleito como o sucessor de São Pedro, quebrando a tradição de mais de 400 anos de escolher Papas de origem italiana. Em 22 de outubro de 1978 foi investido como Sumo Pontífice e assumiu o nome de João Paulo II e prometeu que levaria a religião aos quatro cantos do mundo.

João Paulo II visitou 123 paises , chegando a ir, em 25 de janeiro de 1998, em Havana, capital de Cuba, onde passou 5 dias a convite do Presidente Fidel Castro. Ele também esteve no Brasil por 3 vazes, em 1980, 1991 e 1997.

No dia 13 de maio de 1981 o Papa sofre um atentado em plena praça de São Pedro. Ele foi atingido por 3 balas disparada por um fanático turco chamado Mehmet Ali Agca. Recuperado do atentado o Papa vai até a prisão, onde o criminoso estava preso, e o perdoa.

A partir do iniciou da década de 90 a saúde do Papa começa a declinar Em 1992, fez uma cirurgia para remover um tumor no cólon; em 1993, deslocou o ombro; em 1994, caiu e fraturou o fêmur; e, em 1996, teve seu apêndice retirado e o Mal de Parkinson debilitaram sua saúde. Em 2005 o Papa já não consegue mais falar direito, passa mal no final de março e morre às 16:37h (horário de Brasília) do dia 02 de abril de 2005. Segundo seu secretário e agora Cardeal de Varsóvia, Dom Stanislaw Dziwisz, suas últimas palavras foram: “Deixei-me ir para a casa do Pai”

Arquivado em: Religião