Agentes Comunitários de Saúde

Por Marlene Amariz
Os agentes comunitários de saúde, mais conhecidos pela sigla ACS, tem um papel fundamental quando citamos saúde da família. O ACS figura como personagem central e importante no que tange a ligação entre os domicílios, unidades básicas de saúde (UBS) e comunidade, atuando  também em espaços comunitários, promovendo a prevenção de doenças e promoção da saúde, desenvolvendo paralelamente uma ação empreendedora da população.

Anteriormente, porém, já podemos identificar a  idéia  de agente comunitário de saúde,  envolvendo as três vertentes citadas acima, ou seja, domicílios, UBS e comunidades em  diversas partes do mundo. No entanto, com a criação dos PSF (Programa Saúde da Família)  desenvolveu-se a necessidade de um maior envolvimento entres postos de saúde e famílias, com o propósito de atingir positivamente a comunidade como um todo. Originou-se então a inserção dos ACS nessas equipes, que contam inicialmente com um enfermeiro, dois auxiliares de enfermagem e um médico.

Observaremos que o advento dos ACS possui duas vertentes importantes e interessantes, as quais abordaremos à seguir. O primeiro aspecto trata-se de um parecer técnico, ou seja, o trabalho de atendimento pontual com o objetivo de  identificar nas famílias as questões específicas, no sentido de prevenção do agravamento de problemas já existentes,  e no sentido de solidariedade, e à seguir vemos um outro aspecto mais político, no qual , à partir da identificação desses problemas, parte-se para a geração de uma melhor  organização das sociedades, fazendo com que hajam transformações efetivas nessas comunidades. Identificamos  nesse ponto, de maneira efetiva,  a ação  dos ACS, que através do seu trabalho promoverão a interação completa entre o parecer técnico e político, culminando com uma maior interação e acesso aos serviços.

Não podemos deixar de mencionar também que,  vivenciando o cotidiano, nem sempre consegue-se atingir objetivos completos ,pois,  os agentes, muitas vezes não tem à sua disposição ferramentas que o levem à concluir com total êxito o seu trabalho, onde eles frequentemente  encontrarão conflitos entre as necessidades com as quais  deparam-se no seu dia a dia e  o sistema assistencial do qual fazem  parte.

Para que o agente comunitário de saúde possa desempenhar bem o seu trabalho, é necessário que ele inicialmente conheça bem o seu território de atuação. Os ACS estão  presentes igualmente  em periferias e em comunidades rurais, como também em locais industrializados e urbanizados. Atualmente, esses agentes somam um número de 204 mil em atividade em todo o país. Eles deverão ter iniciativa, deverão agir com ética e profissionalismo e identificar o potencial que uma região tem de crescer social e economicamente.

Funções dos Agentes Comunitários de Saúde

Passaremos agora à explanar um pouco sobre as suas principais funções. Esses agentes depararão com diversas situações familiares, como: violência familiar, uso e dependência de drogas, higiene doméstica, solidão do idoso, desemprego, exclusão social, qualidade de vida, enfim, onde sua efetiva atuação terá com principal objetivo identificação de situações e possíveis soluções ou a indicação delas.

Entre suas inúmeras funções, podemos citar algumas:

  • Fazer o cadastramento das famílias da comunidade
  • Realizar visitas periódicas domiciliares
  • Orientar, ouvir, acolher e direcionar o usuário do serviço público
  • Identificar através das famílias, problemas que podem estender-se às comunidades
  • Identificar  e orientar, direcionando para correção de problemas com origem sanitária e de higiene
  • Acompanhamento e orientação de gestantes, e posterior acompanhamento do bebê.

Concluindo, o agente comunitário de saúde desempenha um importante papel entre comunidade e sistema de saúde, promovendo através de seu trabalho um elo que ocasionará em um melhor atendimento e desenvolvimento de cada comunidade ou região de atuação.

Referência Bibliográfica:
Scavassa, Ailton José – “ O ACS,Uma Abordagem Fenomenológica”, fev 2002
Ministério da Saúde.(Série F. Comunicação e Educação em Saúde), 2009
SUS  - Departamento de Atenção Básica - DAB