Sedentarismo

O sedentarismo é caracterizado pela falta de atividade física no ser humano, não somente no caráter da prática desportiva, mas em toda sua amplitude, fazendo com que a saúde da pessoa entre em declínio e esteja mais suscetível ao surgimento de patologias. Devido ao grande comprometimento que a mesma pode ocasionar, considera-se atualmente como um problema de saúde pública e por muitos profissionais da saúde, também é considerada como o mal do século.

Sedentarismo. Ilustração: Gil C. / Shutterstock.com

Sedentarismo. Ilustração: Gil C. / Shutterstock.com

Devido à grande preocupação em reduzir os índices de sedentários, algumas políticas têm sido adotadas para que o mesmo possa ser prevenido em todas as faixas etárias. Nos últimos tempos têm-se percebido que o estímulo dado às pessoas para que se movimentem tem aumentado gradativamente. O acometimento do indivíduo por conta do sedentarismo pode trazer a diminuição de funcionalidade em sua globalidade além de diminuir as chances de mortes prematuras por conta da vulnerabilidade da saúde.

Para que os hábitos sedentários sejam deixados de lado, as pessoas devem ter consciência de que a atividade física deve ser introduzida na rotina de forma gradativa, afim de prevenir possíveis lesões que possam acontecer no período de adaptação. Recomenda-se que as atividades sejam assistidas por um profissional da saúde, para que os movimentos sejam reeducados e executados de forma correta, sem que haja risco de lesionar alguma estrutura corporal. Também vale salientar a importância do acompanhamento de um profissional em casos onde o indivíduo possa apresentar problemas crônicos, como diabetes, cardiopatia, obesidade, devido aos riscos que as mesmas ocasionam, fazendo com que o médico e o profissional que estará desenvolvendo as atividades possam traçar um perfil onde as atividades sejam direcionadas para cada caso especificamente. Por esses e outros motivos, salienta-se que a prática de exercícios consegue melhorar a saúde e a sensação de bem-estar ao ficarem moderadamente ativas desde que seja de forma regular, assim como a atividade não necessita ser extenuante para trazer benefícios à saúde de quem iniciará com a prática.

Dentre os benefícios que a prática de atividade física pode proporcionar, podemos citar alguns deles para que sejam melhores visualizados, como por exemplo:

  • Melhora a funcionalidade do organismo e todos os seus sistemas;
  • Diminuição do risco de morte prematura;
  • Redução dos níveis de colesterol, triglicerídeos, glicose, etc;
  • Melhora a condição e a funcionalidade cardíaca e respiratória;
  • Melhora a mobilidade articular e a força muscular;
  • Auxilia na manutenção do peso, dos níveis de gordura corporal e de massa magra;
  • Auxilia na prevenção de patologias como câncer, Alzheimer, Parkinson e outras patologias incapacitantes;
  • Melhora a sensação de prazer e bem-estar, sendo um grande aliado nos tratamentos de ordem psicológica;
  • Proporciona alívio de tensão muscular; diminuição das dores no corpo decorrentes do estresse ou desuso;

Dentre esses e muitos outros fatores, vale salientar que a visita regular ao médico facilitará a indicação da atividade física mais indicada para cada indivíduo, fazendo com que o mesmo possa sentir-se beneficiado e em melhores condições de saúde a partir do início da prática. Porém, vale ressaltar que em indivíduos que utilizam medicações especificas para patologias previamente diagnosticadas, como pressão alta e diabetes, devem manter a ingesta medicamentosa conforme a indicação médica para que não haja intercorrências durante a prática das atividades.

Bibliografia:
http://www.scielosp.org/pdf/csp/v21n3/21.pdf
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-86922001000400004&script=sci_arttext

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Educação Física, Saúde