Síndrome alcoólico fetal

Síndrome alcoólico fetal (SAF) é o termo utilizado para definir um conjunto de danos causados ao feto pela mãe durante o período gestacional em decorrência do consumo de bebidas alcoólicas durante esse período.

O álcool apresenta a capacidade de transpor a barreira placentária e pode interferir no crescimento e peso fetal, causar dimorfismo facial, danos neuronais e nas estruturas cerebrais, podendo resultar em problemas psicológicos ou comportamentais. Deste modo, o consumo de álcool representa perigo ao feto em qualquer ponto da gestação, uma vez que o desenvolvimento do cérebro é continuo durante todo esse período.

O principal efeito da SAF são os danos irreversíveis ao Sistema Nervoso Central (SNC), podendo gerar deficiências funcionais e cognitivas primárias, como problemas de memória, déficit de atenção, comportamento impulsivo e problemas de raciocínio, bem como deficiência secundária, como predisposição para problemas de saúde mental e para dependência química.

Com relação aos danos ao crescimento, observa-se altura e peso abaixo da média. Já falando das características faciais, as principais observadas são:

  • Microcefalia;
  • Microftalmia;
  • Fissura palpebral pequena;
  • Filtro nasal hipoplásico com lábio superior fino e hipoplasia do maxilar.

Em aproximadamente 39% a 50% dos casos, observa-se anomalias cardíacas, sendo os defeitos mais comuns os do septo atrial e do septo ventricular. Alterações esqueléticas também podem ser observadas na SAF, incluindo a sinostose radioulnar, as anomalias de falanges, as malformações vertebrais, a escoliose, a hipoplasia das unhas dos artelhos, dentre outras.

O diagnóstico é feito com base nos achados clínicos, como:

  • Retardo de crescimento pré ou pós-natal;
  • Envolvimento do sistema nervoso, atraso do desenvolvimento neuropsicomotor e alterações do QI e do comportamento;
  • Dimorfismo facial, sendo necessária a presença de, no mínimo, dois sinais dos descritos anteriormente.

Não existe cura para esta síndrome, uma vez que a lesão ocorrida no SNC é permanente. Contudo, existe tratamento sintomático, que envolve, por exemplo, o uso de fármacos e a realização de intervenções comportamentais.

A prevenção da SAF é feita por meio da suspensão completa da ingestão de bebidas alcoólicas pela mulher durante o período gestacional.

Fontes:
http://www.pediatriasaopaulo.usp.br/upload/pdf/184.pdf
http://en.wikipedia.org/wiki/Fetal_alcohol_syndrome
http://kidshealth.org/parent/medical/brain/fas.html
http://nofas.org/main/what_is_FAS.htm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Saúde, Síndromes