Asilos de Madalena

˜CASAS DE MULHERES PERDIDAS˜. Desta forma eram chamados os asilos de Madalena entre os séculos XVIII e XX. Essas instituições, desaparecidas em seu último período de atuação, funcionavam como abrigo de mulheres abandonadas. Em suas unidades, que funcionavam na América do Norte e na Europa, encontravam-se prostitutas (com sua “moral duvidosa”), vítimas de estupradores, filhas de mães solteiras com suas mães solteiras e deficientes mentais.

Na história dos asilos de Madalena destaca-se o nome de Arabella Denny, que fundou a primeira instituição deste tipo de 1765 na Irlanda. O nome da unidade, em inglês, era “Magdalen Asylum for Protestant Girls” (Asilo de Madalena para Garotas Protestantes) e se localizava em “Leeson Street” uma rua próxima ao centro de Dublin.

Santa Maria Madalena foi a inspiradora dos asilos. Na história bíblica, é conhecida por se arrepender dos pecados e começar a andar na companhia de Cristo. No começo dos anos 1980, os estudiosos Henry Lincoln, Richard Leigh e Michael Baigent, indicaram que Jesus teve uma filha com Maria Madalena, Sara. Porém, essa história é controversa e possui diversas interpretações. Em outros relatos, diz-se que Maria Madalena foi até mesmo uma prostituta.

Em um primeiro momento, o principal objetivo dos asilos de Madalena eram a reabilitação destas mulheres. Nota-se neste aspecto o moralismo e o atraso científico daquele época, pois, deficientes, prostitutas e qualquer tipo de mulher marginalizada eram colocadas na mesma categoria, como se fossem uma espécie maldita e inepta ao convívio social. No começo do século XX, estas instituições começam a adotar medidas de punição e os asilos tornam-se espécies de prisões. As mulheres começam a ser obrigadas a prestar trabalhos físicos (lavanderia, costura), além de passarem por longas horas ininterruptas de silêncio e oração obrigatórias.

Tanto é que na Irlanda essas casas eram conhecidas pelo nome de lavanderias de Madalena. Segundo estimativas, cerca de 30 mil mulheres foram internadas nas instituições irlandesas em toda a história. Em 1996, o última asilo de Madalena, localizado em Waterford, foi desativado. Porém, os maus tratos por que essas mulheres passaram foram temporariamente esquecidos.

Mas isso começa mudar a partir de 2011, quando uma comissão contra tortura da ONU, em ação conjunta ao governo da Irlanda, instaurou inquérito para a investigação das denúncias de violência contra as mulheres que viviam nos asilos. Dois anos depois, o relatório elaborado a partir da verificação destes maus tratos fez com que Enda Kenny, então primeiro-ministro da Irlanda, retratasse-se formalmente. De acordo com o documento, o governo do país foi responsável pelo envio de cerca de ¼ destas mulheres às casas de Madalena e era conivente com o trabalho escravo realizado nas instituições.

Em 2002, foi lançado o filme “The Magdalene Sisters” do cineasta Peter Mullan, que remonta a rotina das mulheres dentro dos asilos de Madalena.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Asilo_de_Madalena
http://www.sgi.org.br/cristianismo/santa-sara-a-filha-de-jesus-cristo-e-maria-madalena/
http://www.imdb.com/title/tt0318411/

Arquivado em: Sociedade