Eremita

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

O Eremita é um indivíduo que vive em local isolado da população.

Algumas pessoas não se interessam pela vida em sociedade e preferem estar mais próximos da natureza que de outros humanos. Esse é um dos motivos que as leva a se afastarem e seguir uma vida solitária, porém, aos seus padrões, mais satisfatórias. Em outros casos, a escolha por levar uma vida em um local deserto e sem contato humano é uma escolha feita baseada em penitências, ou seja, fruto de questões religiosas que levam o indivíduo a escolher viver sozinho para certa purificação espiritual. Em último caso, pode ser simplesmente misantropia, que nada mais é do que a pessoa ter aversão à natureza humana em geral. Seja qual for o caso, esses são os Eremitas, também chamado de Ermitão, e o local onde vivem é chamado de eremitério.

No que se refere à questão religiosa, o Eremita possui um papel significativo para a Igreja Católica. Ao longo da história do cristianismo, a prática apareceu com força significativa em dois momentos. O primeiro foi na fase inicial da religião, entre os séculos III e IV, quando apareceram os chamados Padres do Deserto que buscavam levar uma vida de pura contemplação. Esse movimento foi responsável por conquistar uma grande quantidade de fieis que estavam interessados em seus aconselhamentos espirituais e na vida retirada da sociedade.

O segundo momento de notória relevância do eremitismo para o cristianismo se refere a um período dentro do que chamamos de Idade Média, entre os séculos XII e XIII. Neste período, a intenção do Eremita era praticar uma vida nos moldes da de Jesus Cristo. Para alcançar tal objetivo, o movimento ganhou muitos adeptos, porém que seguiram práticas diferenciadas do eremitismo. Alguns adotavam uma vida isolada e pobre para alcançar os preceitos espirituais defendidos. Outros preferiam estar vinculados a mosteiros, enquanto uma terceira via seria o isolamento como forma de penitência.

O eremitismo é muito caro à religião cristã e seus adeptos procuram reviver os dias de isolamento de Jesus Cristo no deserto. Para os Eremitas europeus, contudo, o cenário tornou-se diverso. Em função da ausência de desertos em tais continentes, os seguidores dessa prática se refugiavam em montanhas e florestas. Apesar de tudo, as condições de vida, em geral, são semelhantes. Homens pobres, isolados, barbudos, descalços vivendo em locais remotos.

O Brasil também contou com um momento no qual a figura do Eremita foi muito marcante, o que aconteceu durante o chamado Ciclo do Ouro. Nessa fase, os Eremitas construíam por conta própria capelas para que pudessem se isolar.

Fonte:
http://www.ifcs.ufrj.br/~frazao/eremitismo.html

Arquivado em: Sociedade