Organização Social

Uma organização social, que também é chamada de instituição social, se trata de qualquer estrutura ou organismo advindo de uma ordem social, responsável por reger a esfera comportamental de um coletivo de cidadãos dentro de um certo grupo, podendo ser humana ou de um animal específico. A organização social é um conceito sociológico definido como um padrão de relacionamentos entre indivíduos e grupos. As características da organização social podem incluir qualidades tais como o tamanho, a composição de gênero, coesão espaço-temporal, liderança, estrutura, divisão do trabalho, sistemas de comunicação, etc.

Todas as instituições sociais são, obviamente, identificadas por um propósito social, que ultrapassa o interesse singular de indivíduos, promovendo mediações através da criação de regras que governam o comportamento orgânico da comunidade. É o conjunto de relações entre membros de um grupo, entre grupos ou entre pessoas e grupos.

Uma sociedade não terá como encontrar meios e condições de sobreviver se não oferecer uma certa organização e relacionamento entre seus membros. Para que a sociedade possa existir, são imprescindíveis as interações constantes entre os sujeitos que a formam. Sem o mínimo de organização, o homem não conseguirá, em quantidade satisfatória, recursos básicos como alimentação, vestimenta e moradia, não sendo capaz de dar vazão às suas potencialidades produtivas. Os grupos socias comumente se organizam e mantêm relações entre eles mesmos, como entre famílias, empresas, entre instituições de ensino e de saúde.

Um aspecto cultural marcante dos povos é a organização social, que compreende os papéis exercidos pelos indivíduos na sociedade e as ações decorrentes do desempenho desses papéis. Numa escola, por exemplo, o diretor orienta o trabalho de todos os funcionários, solicita melhorias para o prédio e suas instalações, participa de reuniões na delegacia de ensino para acompanhar as determinações da Secretaria de Educação; os inspetores cuidam da disciplina; os professores lecionam; os faxineiros cuidam da limpeza; os alunos participam das aulas, etc.

As organizações sociais conglomeram os mais diferentes campos de atuação humana: econômico (atividades produtivas, comércio, serviços; político; religioso). Nessas organizações, são importantes as relações de poder que devem ser estabelecidas entre os indivíduos que a formam. Poder esse que devemos entender com o sentido social que a palavra tem, poder que dá capacidade a agir e produzir resultados que foram predeterminados. Por exemplo, se tivermos os recursos para fazer um objeto, nós teremos o poder de fazê-lo. As instituições produtivas dependem das instituições de ensino para uma força de trabalho qualificada, as instituições de ensino são dependentes do governo para o seu financiamento, e instituições governamentais, por sua vez, dependem de instituições produtivas para criar riqueza para financiar os gastos do governo. Sociologicamente, essa condição é chamada de interdependência institucional.

Essas instituições são ideias sobre como algo deve ser feito, olhar ou ser constituído, a fim de ser visto como legítimo. As instituições podem ser definidas como uma coleção estável de práticas sociais que consistem em papéis facilmente reconhecidos, juntamente com as normas subjacentes e um conjunto de regras ou convenções que define o comportamento adequado para, e que rege as relações entre, os ocupantes dessas funções. Elas são responsáveis por fornecer estruturas, diretrizes para o comportamento e interação humana. As organizações também são caracterizadas por práticas sociais que ocorreram de novo ou se repetem ao longo do tempo por membros do grupo, e podem ou não envolver outras organizações.

Fontes:
http://www.thesocialorganization.com/
http://www.gartner.com/it/products/research/media_products/social_org/
http://www.tc.columbia.edu/orgpsych/

Arquivado em: Sociedade