Exercícios - Conflito entre Israel e Palestina

Lista de questões acerca do conflito histórico entre israelenses e palestinos, retiradas de provas de vestibulares.
Ler artigo Conflito entre Israel e Palestina.

Exercício 1: (PUC-RIO 2009)

O Estado de Israel, que completou 60 anos em maio deste ano, teve suas fronteiras definidas a partir de várias guerras com países vizinhos. A esse respeito, avalie as afirmativas abaixo:

I - O plano de Partilha da ONU (Resolução 181) de 1947 previa a retirada das tropas do Império russo, a criação de um Estado judaico e de um Estado independente árabe-palestino na região da Palestina.

II - Os árabes rejeitaram o plano de partilha da Palestina aprovado pela Assembléia Geral das Nações Unidas e atacaram o recém-formado Estado de Israel em 1948: era o começo dos conflitos árabe israelenses e do dilema dos refugiados palestinos.

III - A vitória israelense na Guerra dos Seis Dias (1967) permitiu a ocupação de quase toda a Palestina, isto é, do Sinai, da Faixa de Gaza, da Cisjordânia, de Jerusalém e o do Iraque.

IV - A partir de 1987, a população civil palestina começou a série de levantes (Intifada) contra a ocupação israelense usando paus, pedras e atentados.

ASSINALE a alternativa correta.


Exercício 2: (UFMG 2009)

Envolvido, desde sua fundação, em conflitos na região, o Estado de Israel completou, em maio de 2008, 60 anos de existência. Considerando-se as disputas territoriais entre árabes e israelenses e outros conhecimentos sobre o assunto, é CORRETO afirmar que:


Exercício 3: (Unespar 2015)

Em 1947 foi aprovado o plano de partilha da Palestina pela Organização das Nações Unidas (ONU), que previa a criação de dois estados independentes: um judeu e outro palestino, o que gerou o início de intensos e constantes conflitos. Sobre os conflitos árabe-israelenses é correto afirmar que:

I. Desde a criação do Estado de Israel em 1967, o conflito foi marcado por alguns poucos confrontos, sendo características principal a paz e o diálogo intenso entre Árabes e Judeus, o que tem garantido avanço nas negociações e respeito aos direitos adquiridos.
II. Em função dos conflitos, mais de um milhão de palestinos se encontram, atualmente, refugiados em outros países do Oriente Médio, como Líbano, Síria e Jordânia.
III. Apesar do apoio da maior parte das populações israelense e palestina pela paz, e dos vários acordos assinados entre os seus líderes, somente com a intervenção de países pacíficos como o Brasil e o Chile, é que as negociações tiveram significativo progresso.
IV. Um dos maiores obstáculos aos acordos de paz é o fundamentalismo de alguns grupos, tanto israelenses quanto palestinos. Os nacionalistas radicais israelenses defendem a criação da “Grande Israel”, que ocuparia toda a Palestina. Os radicais palestinos, por sua vez, são contrários à existência do Estado judeu.