Conheça quatro tipos de intercâmbio de trabalho no exterior

02/01/2017 - 16h07 - Por Thaís Ferraz





Em 2015, uma pesquisa da ICEF Monitor estimou que cinco milhões de pessoas estavam estudando fora de seus países de origem. O Brasil é o sexto maior “exportador” de intercambistas do mundo: no ano passado, 232.447 mil brasileiros estudaram e/ou trabalharam temporariamente no exterior. Neste guia, dividido em duas partes, explicamos como funcionam as viagens de estudo e trabalho mais comuns entre os brasileiros. Confira:

Parte 1: Conheça os intercâmbios de estudo mais populares entre os brasileiros

Parte 2: Intercâmbios de trabalhohands-600497_1920

 

Trabalho Voluntário no Exterior

Trabalhar voluntariamente no exterior é uma experiência completa: o participante entra em contato com outra cultura, aprende ou aperfeiçoa um idioma e ainda pode deixar uma contribuição significativa para o país que visita. Outra vantagem desse tipo de experiência é que, muitas vezes, as próprias ONG's e instituições oferecem hospedagem e alimentação gratuitas para os voluntários. Os interessados podem planejar o trabalho voluntário por conta própria, utilizando sites como Idealist, Working Abroad e Voluntary Services Overseas, ou participar de programas oferecidos por agências e organizações, como a Intercultural, a AIESEC ou o Rotary Club, por exemplo.

Au Pair

Nessa modalidade de intercâmbio, uma família oferece hospedagem, alimentação e bolsa de estudos para um estrangeiro em troca de prestação de serviços domésticos, geralmente relacionado ao cuidado de crianças. O participante de um programa Au Pair não é um empregado doméstico, mas um intercambista cultural que deverá ser tratado como membro da família, inclusive participando de programas familiares como viagens e passeios. Existem programas de Au Pair oficiais (reconhecidos pelos governos internacionais) e contratos informais, nos quais famílias interessadas e candidatos fazem um acordo sem intermediação de terceiros. Na maioria das vezes, o candidato deve ter mais de 18 anos e possuir um nível intermediário em inglês ou no idioma do país em que irá residir e trabalhar.

Work Experience

Os programas de Work Experience oferecem oportunidades de trabalho no exterior, geralmente remunerados. A maioria dos intercâmbios de work experience são realizados nos períodos de férias escolares no Brasil, mas é possível encontrar opções de trabalho em outras épocas do ano. A duração desses programas geralmente é curta, compreendendo um período de dois a quatro meses. Os participantes precisam ter um nível intermediário de inglês ou do idioma do país em que irão trabalhar. É possível realizar um work experience por conta própria, mas agências especializadas oferecem mais segurança e uma maior variedade de opções de trabalho, além de ajudarem no processo intermediando os acordos entre empregadores e candidatos.

Work & Study

Como o nome indica, esse tipo de intercâmbio se caracteriza por unir estudo e trabalho. A estrutura depende da legislação de cada país, mas existem dois formatos principais. No primeiro, os participantes passam os primeiros meses do programa fazendo cursos de idiomas no exterior e só passam a trabalhar após esse período. No segundo, os intercambistas estudam e trabalham ao mesmo tempo. Essa modalidade de intercâmbio geralmente tem uma longa duração, de 4 a 12 meses.