Enade passará por mudanças em 2016

21/12/2015 - 16h10 - Por Karoline Figueiredo





Em entrevista coletiva na sexta-feira (18/12) sobre a revelação dos dados do Enade (Exame Nacional do Desempenho dos Estudantes) 2014, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante e o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), José Francisco Soares, declararam que o Enade na edição de 2016 passará por mudanças significativas para melhorar a avaliação das Instituições de Ensino Superior do país.

Entre as mudanças estão o aperfeiçoamento da metodologia de construção das provas, e como proposta do Inep, o cálculo do exame realizado por níveis de proficiência de estudantes por curso ao invés de uma nota. "O nível de proficiência dos estudantes é mais correto e mais justo, o estudante vai estar em um patamar independente das outras instituições" esclareceu Mercadante.

Pelas propostas sugeridas o Enade passaria a ser um dos critérios de ingresso para a pós-graduação e entraria no Histórico Escolar do acadêmico. Outra sugestão é o Enade Digital com o propósito de tornar a prova universal e anual para todos os concluintes.

Todas as mudanças ainda serão debatidas e esclarecidas em audiências públicas.

O Enade foi criado em 2004 e integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) com o propósito de verificar o rendimento dos estudantes dos cursos de graduação em relação ao conteúdo programático, suas habilidades e competências. As avaliações são trienal e destinadas aos que estão ingressando e concluindo os cursos.

No ano passado, 85,72% dos cursos avaliados apresentaram desempenho satisfatório (3, 4 e 5) no Conceito Preliminar de Curso. A maioria das notas 4 e 5 foram apresentadas nas Instituições Públicas, 36,38%. Enquanto nas Instituições Particulares o percentual com esses conceitos mais altos foram de 25,64%.

As áreas na qual foram aplicados os exames do Enade 2014 foram Ciências Exatas, Licenciaturas, Controle e Processos Industriais, Informação e Comunicação, Infraestrutura e Produção Industrial. Foram avaliados 9.963 cursos de 43 áreas do conhecimento.

Acesse os Indicadores de Qualidade da Educação Superior na página do Inep.

 

Arquivado em: Educação