Fundação com maior acervo de Literatura Popular da América Latina disponibiliza acervo raro de Cordel

28/12/2016 - 14h29 - Por Karoline Figueiredo





A Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) vinculada ao Ministério da Cultura (MINC), com o objetivo de valorizar e divulgar histórias antigas sobre Cordéis, criou o portal Cordel - Literatura Popular em Verso. O acesso é gratuito.

A coleção é constituída por 2.340 folhetos digitalizados com versões originais. As obras relatam aventuras de heróis, acontecimentos políticos, histórias de amor, entre muitos outros fatos contados ou vividos por 21 cordelistas no século XIX. São documentos raros, originais e antigos. O projeto Literatura Popular em Verso visa a preservação, conservação e disponibilidade dessa coleção única no mundo.

"Além da digitalização, fizemos também a restauração de alguns folhetos. O objetivo é preservar os cordéis e ampliar o acesso a eles. Só em 2016, foram 35.313 acessos ao acervo digital. Só permitimos o cesso físico aos folhetos se for realmente necessário, como pesquisadores que estejam estudando a cor dos folhetos, a encadernação, entre outros", explicou a chefe do serviço de biblioteca da FCRB, Dilza Ramos Bastos. Segundo ela, o cordel é uma literatura que surge no âmbito popular e reflete na cultura oral e seu tempo, como fatos sociais, políticos e acontecimentos históricos.

O acervo de Literatura Popular da FCRB é o maior da América Latina. Atualmente possui mais de 9 mil folhetos de cordel adquiridos desde 1.960.

O cordel no Brasil surgiu no século XIX e expandiu da Bahia ao Pará. Na época, os folhetos eram vendidos nas feiras como meio de informação para a população local, uma espécie de jornal. Entre os assuntos abordados estão: as aventuras de cavalaria, as narrativas de amor e sofrimento, histórias de animais, histórias e heróis, etc.

Para obter mais informações acesse o portal do MINC.