Mudanças na Rede Pública do Estado de São Paulo causam revolta em estudantes, pais e professores

23/10/2015 - 17h45 - Por Karoline Figueiredo





Cerca de 800 pessoas participaram nesta sexta-feira, 23/10, do protesto organizado pela UMES (União Municipal dos Estudantes Secundaristas) na avenida Paulista, Centro de São Paulo, contra o projeto da gestão do governador Geraldo Alckmin, que modificará a estrutura da rede pública estadual paulista. As reivindicações vem acontecendo constantemente por alunos, pais e professores desde que as mudanças previstas para 2016 foram anunciadas.

A meta da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo é manter em cada Escola apenas 1 ciclo de ensino: Anos Iniciais (1º ao 5º) do Ensino Fundamental; Anos Finais (6º ao 9º) do Ensino Fundamental e Ensino Médio, todos separados.

Com essa transformação, em torno de mil escolas estaduais serão afetadas e cerca de 155 serão fechadas. Quase 2 milhões de estudantes serão transferidos para outras redes, muitos deles, terão que percorrer uma distância maior do que já fazem todos os dias. É previsto a demissão de 20.000 professores.

Arquivado em: Educação