ONU revela que até 2030 metade da população mundial viverá em áreas expostas a inundações, tempestades e tsunamis

08/11/2021 - 19h58 - Por Karoline Figueiredo
Sempre abrir.

O Dia Mundial da Conscientização sobre o Tsunami foi celebrado no dia 5 de novembro, e para marcar a data, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, fez um apelo a todos os países, organismos internacionais e sociedade civil, para que sejam elaboradas estratégias inovadoras para reduzir os impactos causados por tsunamis e outros desastres naturais.

A previsão é que até o ano de 2030, cerca de 50% da população mundial viverá em áreas costeiras expostas a inundações, tempestades e tsunamis. Por isso, Guterres pede compreensão e cooperação internacional para tais ameaças.

"O aumento do nível do mar causado pela emergência climática agravará ainda mais o poder destrutivo dos tsunamis. Devemos limitar o aquecimento em 1,5ºC acima das médias pré-industriais e investir em escala na resiliência das comunidades costeiras", explicou o secretário.

Segundo a ONU, mais de 700 milhões de pessoas vivem atualmente em áreas costeiras baixas e em pequenos Estados insulares em desenvolvimento que estão expostos a eventos extremos ao nível do mar, incluindo tsunamis. A rápida urbanização e o crescimento do turismo em regiões sujeitas a tsunamis também estão colocando ainda mais pessoas em perigo.

Para Guterres, ciência, cooperação internacional, preparação e alerta precoce devem estar no centro de todos os esforços para manter as pessoas e comunidades mais seguras.

Neste ano de 2021, o Dia Mundial da Conscientização sobre o Tsunami está promovendo a "Campanha Sendai Sete", com o propósito de melhorar a cooperação internacional com os países em desenvolvimento. A iniciativa prevê o auxílio adequado e sustentável aos países em desenvolvimento para que completem as ações necessárias para reduzir desastres naturais até 2030.

Para mais informações acesse a página da ONU Brasil.