Professor da UFF testa vacinas contra infecção hospitalar; estudos visam benefícios para população mundial

22/04/2017 - 16h21 - Por Karoline Figueiredo





O Pesquisador e Professor de Bioquímica e Biologia Celular e Molecular da Universidade Federal Fluminense (UFF), Fábio Aguiar Alves, juntamente com 4 estudantes de graduação e mais 5 pesquisadores estão testando vacinas contra infecções causadas pelas bactérias Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa, nos Estados Unidos.

A  Staphylococcus aureus pode causar pneumonia, osteomielite, infecção generalizada, entre outras doenças. A Pseudomonas aeruginosa ataca o aparelho respiratório, aparelho urinário e corrente sanguínea, sendo também, a principal preocupação de contaminação em casos de queimaduras. A equipe segue com as pesquisas na Escola de Medicina da Universidade da Califórnia em San Francisco (UCSF)nos Estados Unidos.

"Esse projeto inédito vai trazer uma série de benefícios para a população mundial. O meu objetivo é levar para o Brasil todo aprendizado e a tecnologia sobre a metodologia de testes com novas vacinas e drogas. Afinal, grandes indústrias farmacêuticas têm filiais no nosso país e podemos desenvolver excelentes parcerias com as Universidades", declarou o professor Fábio Aguiar Alves.

Devido ao reconhecimento dos trabalhos de pesquisa científica do prof. Alves, o prof. Bien Diep da UCSF  o convidou para realizar os estudos e prosperar nas pesquisas, na Universidade da Califórnia. As vacinas já estão sendo testadas em camundongos, coelhos, e em procedimentos cirúrgicos de pessoas, em alguns países como no Canadá.

Alves acredita que os estudos e os resultados conclusivos acontecerão em torno de 3 anos. Para obter mais informações acesse a página da UFF.

Segundo informações da Organização Mundial de Saúde (OMS), a infecção hospitalar é um dos principais problemas de saúde no mundo. No Brasil, dados revelam que anualmente 14% dos pacientes internados contraem alguma infecção. De acordo com a Associação Nacional de Biossegurança (ANBio), cerca de 100 mil pessoas morrem por ano por infecção hospitalar.