Relatório da UNICEF apresenta mais de 97% de estudantes fora das escolas na América Latina e no Caribe por causa da pandemia

13/11/2020 - 20h14 - Por Karoline Figueiredo

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) divulgou um novo relatório sobre os impactos da Covid-19 na Educação. Depois de sete meses de pandemia, o vírus continua deixando jovens longe das aulas presenciais na América Latina e no Caribe.

Segundo o documento, mais de 137 milhões de crianças e adolescentes permanecem fora das escolas. Os estudantes nestes continentes já perderam em média quatro vezes mais dias letivos (174) em comparação com o resto do mundo. Mais de um terço de todos os países da América Latina e Caribe ainda não definiu data para reabertura das instituições de ensino.

O relatório mostra que no contexto de Covid-19, as lacunas de educação entre famílias ricas e pobres cresceram ainda mais. Crianças e adolescentes que não recebem nenhuma forma de educação nestas localidades aumentaram de 4% para 18% no últimos meses.

A Organização das Nações Unidas (ONU) prevê que em decorrência da Covid-19, cerca de 3 milhões a mais de meninas e meninos podem ficar fora das escolas na América Latina e no Caribe.

"Na América Latina e no Caribe, milhões dos estudantes mais vulneráveis podem não retornar à escola. Para quem não tem computador, internet ou até mesmo um lugar para estudar, aprender em casa se tornou um grande desafio", informou o diretor regional a.i do UNICEF para a América Latina e o Caribe, Bernt Aasen.

As equipes do UNICEF estão atuando para proteger os direitos das crianças e dos adolescentes de aprender em todos os países da América Latina e do Caribe. Desde o início do fechamento das escolas, cerca de 42 milhões de estudantes têm recebido atividades educacionais a distância com o apoio do UNICEF.

Apesar dos esforços governamentais, apenas um em cada dois alunos de escola pública tem acesso ao ensino a distância de qualidade em casa. De acordo com o UNICEF, programas educacionais por meio de rádio, TV e internet devem ser fortalecidos para alcançar um número maior de estudantes.

Acesse o relatório em inglês e em espanhol. Para mais informações acesse o portal da UNICEF.