Revalida 2021: confira os documentos válidos para o exame

19/08/2021 - 17h51 - Por Karoline Figueiredo
Sempre abrir.

As provas do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2021 serão aplicadas dia 05 de setembro, em oito capitais brasileiras: Brasília (DF), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio Branco (AC), Salvador (BA) e São Paulo (SP)

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou os documentos válidos para identificação do participante no Exame. Serão considerados cédulas de identidade expedidas por instituições, como Secretarias de Segurança Pública, Polícias Militar e Federal ou pelas Forças Armadas; identidade expedida pelo Ministério da Justiça para estrangeiros, inclusive no caso de reconhecidos como refugiados. A Carteira de Registro Nacional Migratório, prevista na Lei de Migração também é válida para identificação. Outras também são aceitas, como Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Carteira de Trabalho e Previdência Social (impressa e expedida após 27 de janeiro de 1997) e identificação fornecida por ordens ou conselhos de classes, que tenham validade por lei.

O Revalida é composto por duas etapas (teórica e prática): na primeira fase, as avaliações são compostas por 100 questões objetivas de múltipla escolha e 5 questões discursivas; na segunda fase participam apenas os aprovados na primeira, que realizam testes práticos em clínicas médicas. Os participantes que reprovarem na segunda fase, poderão refazer o procedimento por mais duas vezes.

O exame avalia o grau de conhecimentos, habilidades e competências requeridas para o exercício profissional adequado aos princípios e necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS), em nível similar ao exigido dos médicos formados no Brasil. O exame subsidia o reconhecimento pelas universidades parceiras, dos diplomas dos médicos que se formaram no exterior e querem atuar no Brasil. O Revalida é direcionado tanto aos profissionais brasileiros quanto estrangeiros.

Para participar do exame é necessário apresentar diploma de graduação em Medicina, expedido por Instituição Estrangeira de Ensino Superior reconhecida no país de origem pelo seu Ministério da Educação ou órgão equivalente, autenticado pela autoridade consular brasileira ou pelo processo da Convenção sobre a Eliminação da Exigência da Legalização de Documentos Públicos Estrangeiros.

Para mais informações acesse a página de orientações da primeira etapa do Revalida e a página do Inep.