Seminário Internacional sobre Transformação Verde do Sistema Financeiro da África é realizado no Marrocos com organização conjunta da Universidade Tsinghua e da Casablanca Finance City

01/07/2019 - 14h01 - Por PRNewswire





CASABLANCA, Marrocos, 1 de julho de 2019 /PRNewswire/ -- O Seminário Internacional sobre Transformação Verde do Sistema Financeiro da África, organizado em conjunto pela Universidade Tsinghua e a Casablanca Finance City, foi realizado em 25 e 26 de junho em Casablanca, no Marrocos.

Este seminário, parte do Green Finance Leadership Program (GFLP – Programa de Liderança de Finanças Verdes) lançado pela Universidade Tsinghua e a International Finance Corporation (IFC) em maio de 2018, contou com a participação de especialistas da África, França, Reino Unido, China, Mongólia e Cazaquistão para compartilhar conhecimento e experiência no desenvolvimento de finanças verdes.

O Dr. Ma Jun, diretor do Centro de Pesquisa para Desenvolvimento de Finanças Verdes da Universidade Tsinghua e presidente do Comitê de Finanças Verdes da China, ressaltou quatro razões para a África desenvolver finanças verdes: "Vai mobilizar novo dinheiro para crescimento na África, permitir que o continente dê um salto para infraestruturas verdes, criar oportunidades de negócios para instituições financeiras africanas e proteger o setor financeiro de riscos climáticos e ambientais."

Abderrahim Bouazza, diretor geral do banco Al-Maghrib (BAM), declarou que "como primeiro membro NGFS na África, o BAM demonstrou sua disposição de acelerar as ações para integrar questões climáticas no sistema bancário e promover as finanças verdes. A transformação verde das finanças na África também exige maior colaboração com a academia, além dos Bancos de Desenvolvimento Multilaterais (MDBs)."

Said Ibrahimi, CEO da Casablanca Finance City Authority, disse: "embora as oportunidades no continente sejam enormes, a África atrai apenas 5% do fluxo de finanças verdes internacionais. No entanto, o continente tem uma chance única de dar vários saltos graças à finança verde e sustentável. Fortalecer parcerias e construir capacidade via plataformas como a GFLP será instrumental para ampliar o investimento verde na África."

Sean Kidney, CEO da Climate Bonds Initiative, mencionou que, nos próximos anos, 70% do investimento em bens de capital global irá para os mercados emergentes e a África receberá muito investimento verde.

Os participantes compartilharam melhores práticas sobre operações bancárias verdes, mercado de títulos verdes e colaboração, identificaram barreiras para o desenvolvimento das finanças verdes na África e discutiram as necessidades de taxonomias verdes locais, incentivos políticos, divulgação de informações ambientes e construção de capacidades.

A experiência da ASEAN na criação de um conjunto comum de padrões de títulos verdes criou muito interesse entre os participantes. Foi afirmado que a África precisa aprender essas lições para melhorar a transparência e reduzir os custos das transações regionais.

É o terceiro evento da GFLP desde sua criação em maio de 2019. O seminário de 2 dias de duração com foco regional na África, reuniu mais de 150 participantes de 24 países, representando reguladores, instituições financeiras e outros investidores centrais do setor financeiro.

Contatos com a Imprensa:
Mohamed Belfass
Gerente de Relações com a Mídia
PR Media
+212-6-617-436-85
[email protected]

 

 

Foto: https://mma.prnewswire.com/media/941537/Greening_Africa_Financial_System.jpg
Logo: https://mma.prnewswire.com/media/926383/Casablanca_Finance_City_Logo.jpg

 

FONTE Casablanca Finance City