Sócio da Cryopraxis, Eduardo Cruz, debate o avanço dos produtos de terapia avançada no país

26/09/2019 - 13h01 - Por PRNewswire





RIO DE JANEIRO, 26 de setembro de 2019 /PRNewswire/ -- Em palestra realizada durante o 19º Congresso de Ginecologia Endócrina e Reprodução Humana, organizado pela Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro, o CEO da Cryopraxis, Eduardo Cruz, destacou a relevância da Medicina Regenerativa e o avanço dos Produtos de Terapia Avançada, recém-definidos pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) como produtos biológicos obtidos através de células e tecidos humanos submetidos a um processo de fabricação. Somente no ano passado, essa indústria movimentou mais de U$ 8 bilhões e já é uma realidade ao redor do mundo há pelo menos duas décadas.

Segundo Eduardo Cruz, uma das maiores complicações do Parkinson é quando o paciente não mais apresenta resposta aos esquemas medicamentosos. Uma alternativa nesses casos é o uso dos "chips" que restabelecem o controle de neurônios no cérebro e podem aliviar sintomas por mais tempo. Estudo publicado na American Journal of Clinical and Experimental Immunology mostrou o resultado da aplicação de formulação de células-tronco do cordão umbilical em 30 pacientes em quadro de Atrofia de Múltiplos Sistemas. Os resultados são bastante animadores.

A terapia conhecida como CAR-T Cells, validada pelo FDA em 2017, trouxe inúmeras possibilidades para tratamentos oncológicos. Linhagens celulares contra alvos específicos e moldadas em laboratórios CAR-T atacam o tumor. De acordo com o executivo da Cryopraxis, o custo por pessoa tratada chega a U$ 475 mil para Leucemia Linfoide Aguda (LLA) Refratária.

Eduardo Cruz, CEO da Cryopraxis, explicou ainda que CAR-T podem ser obtidas de células T de indivíduos adultos, mas estudos recentes têm demonstrado que essas células T "adultas" poderão ser substituídas por células T do sangue de cordão umbilical com vantagens: "As células T maduras modificadas por CAR frequentemente se diferenciam rapidamente em células efetoras de vida curta que exibem atividade antitumoral limitada in vivo". Os autores afirmam que células-tronco do cordão umbilical modificadas por CAR fornecerão um suprimento duradouro de células CAR-T mediando atividade antitumoral por mais tempo. As células CD34 + derivadas do sangue do cordão umbilical enriquecidas com HSC foram geneticamente modificadas para expressar o antígeno CD19 direcionado para CAR (CAR19) amplamente expresso em neoplasias de células B.

Cryopraxis é membro da American Association of Blood Banks e é o maior banco de armazenamento de células-tronco do sangue do cordão umbilical e placentário do país.

http://cryopraxis.com.br/

FONTE Cryopraxis