UFSC realiza hoje aula pública sobre "fake news" e seus efeitos

25/10/2018 - 15h19 - Por Karoline Figueiredo





A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) por meio do Centro Acadêmico de Ciência da Informação (CACINF) e do Centro Acadêmico Livre de Ciências Sociais (CALCS), realizam nesta quinta-feira (25) no Câmpus Florianópolis, das 19h às 21h, a aula pública sobre "Fake News e Sociedade da Informação - como a digitalização mudou o comportamento eleitoral dos brasileiros".

O evento é voltado aos estudantes e profissionais de todos os meios de atuação, além da comunidade em geral. O objetivo é debater e refletir sobre o comportamento social e comunicação na web e outras mídias, e suas consequências.

O encontro contará com a participação especial da Dra. Letícia Cesarino, professora de graduação e pós-graduação em Antropologia Social na UFSC; e Msc. Marcelo Barcelos, coordenador do MBA em Gestão da Inovação na Comunicação Digital da Faculdade CESUSC e professor de graduação e pós-graduação em Mídias Sociais e Jornalismo.

O aulão é gratuito e acontecerá no Auditório Henrique Fontes (Bloco B - CCE UFSC), em Florianópolis (SC).

Fake News: A "notícia falsa" é uma expressão utilizada desde o final do século XIX, conforme o dicionário Merriam-Webster. O termo em inglês tornou-se popular no mundo todo para denominar informações falsas publicadas, principalmente em redes sociais.

A imprensa internacional passou a utilizar com mais frequência o termo fake news durante a eleição para presidente em 2016, nos Estados Unidos. Na época, foram identificadas por empresas especializadas notícias de conteúdos duvidosos.

Existem grupos específicos que agem desta forma com interesse comercial ou apenas para disseminar o ódio e prejudicar pessoas comuns, celebridades, políticos ou empresas. No Brasil, existem agências especializadas em checar a veracidade das notícias, conhecida como fact-checking.