Just-in-time

Graduada em Administração de Empresas (UNIFEMM, 2010)
Graduada em Comunicação Social (PUC-MG, 2013)

Just-in-time (JIT) - “Bem na hora” ou “exatamente na hora” em tradução livre para o português – é uma das ferramentas que foram desenvolvidas no Sistema Toyota de Produção. Ela tem como objetivo a diminuição dos custos de manutenção do estoque de peças. Foi concebida a partir da ideia de que, ao invés de ficarem aguardando as peças chegarem até eles, como ocorria nos sistemas Taylorista e Fordista, os trabalhadores deveriam buscá-las.

Quando esse método foi criado, após o final da Segunda Guerra Mundial, o Japão estava se reerguendo economicamente e industrialmente. Após visitarem os Estados Unidos e verem de perto os sistemas Taylorista e Fordista de produção, Sakichi Toyoda, fundador da Toyota Motors Company, e Taiichi Ohno, engenheiro mecânico e então diretor da empresa, notaram o grande desperdício da produção em massa completamente focada no produto. Desperdício esse que a Toyota, em grave crise financeira, não tinha como sustentar. Foi nesse contexto que surgiu o Sistema Toyota de Produção e, dentro desse sistema, o método Just-in-time, dentre outros.

Os materiais deveriam chegar na quantidade certa e no momento exato da produção. Assim, só haveria o estoque referente à produção em andamento. O método em geral não trabalha com estoques de segurança (estoque além do demandado que visa cobrir ou evitar a falta de itens importantes) ou, quando existem, são muito reduzidos.

A coordenação entre todos os colaboradores (trabalhadores, fornecedores e empresas de transporte) deve ser ampla e é essencial para que os materiais cheguem no tempo certo. Caso não cheguem, ocorrerá a interrupção da produção.

Com estoque reduzido ou inexistente, é imprescindível que os materiais fornecidos sejam de ótima qualidade, uma vez que uma peça defeituosa pode parar uma operação até que o problema seja solucionado.

Assim, tanto fornecedores como empresas transportadoras são avaliadas em relação à qualidade das peças e da entrega do serviço. Todo o processo precisa estar em ótima sincronia.

O objetivo do método Just-in-time pode parecer ser a redução de custo, mas não fica só nisso. Uma produção eficiente também. Ao usar estoques altamente restritos e exigir a qualidade de materiais, bem como a entrega no tempo exato, o que se nota é uma eficiência na produção. A sintonia fina entre as partes envolvidas acaba por desestimular, se não evitar pontos de ineficiência na produção. Mesmo que eles ocorressem, seriam prontamente corrigidos.

Uma empresa que lança mão do método Just-in-time pode se beneficiar muito com a economia e eficiência da produção. Mas é interessante que outras ferramentas sejam usadas em conjunto para que os resultados sejam potencializados. A própria Toyota Motors Company utilizava o Just-in-time com o Kanban (cartões de controle de fluxo de operações).

Referências bibliográficas:

ANDRADE, Rui Otávio Bernardes de; AMBONI, Nério. Teoria Geral da Administração: Das origens às perspectivas contemporâneas. São Paulo. 2007.

MOTTA, Fernando Carlos Prestes; ISABELLA Gouveia de Vasconcelos. Teoria Geral da Administração.3ª Ed. Ver. – São Paulo: Cengage Learning, 2015.

GITMAN, Lawrence Jeffrey. Princípios da Administração Financeira. 10ª Ed. São Paulo: Pearson Addison Wesley, 2004.

Arquivado em: Administração