Suíno Duroc

Por Débora Carvalho Meldau
O Duroc é uma raça suína que foi desenvolvida nos Estados Unidos. Acredita-se que, no início do século XIX, optou-se pela padronização dos suínos vermelhos de Nova Jersey, Massachussets, Conecticut, Nova Iorque, entre outros, como meio de usufruir das melhores características do material disponível.

Primeiramente a raça recebeu o nome de Duroc Jersey, devido à associação de duas estirpes: a Duroc e a Jersey. No ano de 1882, foi criada a Associação de Criadores de Suínos Vermelhos, que no ano seguindo passou a ser chamada de Americam Duroc-Jersey Swine Breeders Associations. Raças como a Berkshire e Tamworth também contribuíram para o desenvolvimento genético do Duroc. Entre 1915 a 1920, assim como outras raças, a Duroc sofreu a “crise de standart”, que com o advento do melhoramento reprodutivo, se definiu e em 1940 passou-se a ser chamada apenas de Duroc.

Padrão Racial

Os animais dessa raça pesam, aos 6 meses de vida, entre 70 a 90 kg; aos 12 meses de vida, 160 kg os machos e 130 kg as fêmeas. Os machos adultos atingem 270 kg, enquanto que as fêmeas 225 kg. Os animais capados e velhos podem alcançar 500 kg.

A pelagem desses animais é vermelha uniforme, de preferência cereja brilhante. Existem certas famílias de cor vermelho dourado que aparentemente apresentam mais tendência para banha. As cores creme, castanho e violeta são indesejáveis. Os pêlos são lisos, cobrem bem a superfície corporal, no entanto, não devem ser excessivamente abundantes e nem frisados. A cor castanha esta ligada a animal grosseiro, e as claras, à moleza.

A cabeça é de tamanho mediano, a face é ligeiramente cavada, entretanto, são comuns os exemplares de perfil sub-côncavo. O focinho é médio, a fronte é larga entre as orelhas e os olhos. As orelhas devem ter tamanho mediano, inclinadas para frente e levemente para fora, apresentando uma curva para frente e para baixo, sem caírem sobre os olhos e a face. Os olhos são vivos, brilhantes e salientes. As mandíbulas devem ser moderadamente largas, cheias, lisas e sem papadas.

O pescoço é curto, espesso e levemente arqueado. O corpo deve ser grande, maciço, comprido, profundo, uniforme, moderadamente largo e deve apresentar simetria. O peito é largo, com um esterno projetado para fora; o tórax é amplo e profundo, possuindo costelas bem arqueadas; as espáduas são moderadamente largas, profundas e cheias; o dorso e o lombo são musculosos; o abdômen deve ser cheio, com bons tetos; a garupa deve ser da mesma largura do corpo, arredondada ou arqueada, não muita caída. A cauda é de inserção alta, de tamanho regular na base, afilando-se gradativamente, apresentando pêlos nas pontas, comprida e enrolada.

Os membros são fortes, mas não são grosseiros, bem aprumados, moderadamente altos e apresentam boa ossatura. Os pernis são largos, compridos, cheios e firmes. Os cascos são sólidos, as quartelas são firmes, proporcionando uma locomoção facilitada e leve.

Aptidões e Qualidades

O antigo suíno Duroc, grande produtor de banha e toucinho, transformou-se aos poucos em um tipo “intermediário” para carne e toucinho.

Atualmente, seus criadores têm se esforçado para diminuir cada vez mais a manta de toucinho, para transformá-lo em um animal tipo carne, de maior estatura, mais comprido e delgado. Todavia alguns criadores acreditam que o excesso de refinamento desta raça prejudicaria suas qualidades mais valiosas, que são o vigor e a rusticidade. São animais ágeis, flexíveis e fortes, utilizados para a criação e corte, tendo seu espaço garantido no mercado de carne suína no Brasil.

Fontes:
http://criareplantar.com.br/pecuaria/lerTexto.php?categoria=34&id=61
http://expoanimais.com.br/suinos/duroc.htm
http://w3.ufsm.br/suinos/CAP2_hisrac.pdf
http://www.globalswine.com/duroc.html