Cubismo

O Cubismo foi um movimento artístico que teve como seus principais expoentes e pioneiros Pablo Picasso e Georges Braque por volta de 1907, muito embora Cézanne tenha usado, já em 1901, múltiplos pontos de vista numa única pintura. Fundado no início do século XX, o Cubismo é considerado um dos movimentos mais influentes desse período. Suas obras tratavam de maneira geométrica as formas da natureza, assim a representação do universo visual passou a não ter nenhuma obrigação com suas reais formas, no entanto não chegavam à abstração, pois as imagens representadas ainda permaneciam figurativas, ou seja, ainda eram reconhecíveis.

Além de seus percursores Pablo Picasso e Georges Braque, outros artistas se destacaram nesse movimento que influenciou o mundo das artes visuais significativamente, são eles: Albert Gleizes,  Fernand Léger, Francis Picabia, Marcel Duchamp, Robert Delaunay, Roger de La Fresnaye, e Juan Gris.

Embora os temas das pinturas Cubistas tenham sido temas convencionais como autos-retratos e natureza morta, o modo como os artistas desse movimento representavam sua visão dos objetos era considerado muito ousado, pois rompia como a perspectiva tradicional e a linha de contorno.

Os cubistas utilizavam pontos de vistas diversos e cambiantes. Desse modo, ao olharem para uma cadeira, por exemplo, a representavam na pintura, por diferentes ângulos: de cima, de baixo, de lado ou de cabeça para baixo. Assim, esses artistas tentavam capturar todos esses pontos de vistas num mesmo plano. Essa é a principal característica das pinturas cubistas.

Para tanto se apropriaram do uso das formas geométricas, das linhas retas, da colagem e da perspectiva confusa. É possível dividir o movimento cubista em duas linhas: Cubismo Sintético que se baseou na observação, fragmentação e representação de um determinado tema e o Cubismo Analítico que se baseou em técnicas voltadas a colagem.

Obra "Les Demoiselles d'Avignon", de Pablo Picasso (1907).

Obra "Les Demoiselles d'Avignon", de Pablo Picasso (1907).

Não há como falar de Cubismo sem citar o nome do seu grande expoente Pablo Picasso. A obra Les Demoiselles d''Avignon (As Senhoritas de Avignon) de 1907 foi o marco zero do Cubismo, rompendo com o clássico e influenciado pelas esculturas de origem africanas. Nessa tela o autor tratou a nudez feminina, geralmente marcada por curvas, com linhas retas, planos e formas geométricas. Um escândalo para os padrões de arte daquele período. Picasso estudava e observava a forma dos objetos com afinco captando todas as suas possibilidades. A exploração de novos temas, cores, formas e movimento marcaram os objetivos dos integrantes desse movimento, transformando a arte para sempre.

No Brasil o Cubismo começou a ganhar destaque entre os artistas brasileiros somente depois da Semana de Arte Moderna. Muitos desses artistas foram influenciados pelo Cubismo, assim é possível encontrar traços das características cubistas nas obras de Tarsila do Amaral, Anita Malfatti e Di Cavalcanti.

Referências:
Cubismo. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo3781/cubismo

Cubismo no Brasil. Disponível em: http://pt.scribd.com/doc/60085299/Cubismo-No-Brasil

LITTLE, Stephen. ...ismos: para entender a arte. Brasil, Ed. Globo, 2011.