Maria Montessori

Por Thais Pacievitch
Maria Montessori nasceu na Itália em 1870, na cidade de Chiaravalle. Foi uma pedagoga que renovou o ensino, desenvolvendo um peculiar método que ficou mundialmente conhecido como método Montessori. Este método foi aplicado, inicialmente, nas escolas primárias italianas e depois ganhou o mundo. O método Montessori, dirigido especialmente às crianças do período pré-escolar, é baseado no estímulo da iniciativa e capacidade de resposta da criança, através do uso do material didático especialmente desenhado. O método propõe uma enorme diversificação das tarefas e a máxima liberdade possível, de tal maneira que a criança aprendia por si mesmo e seguindo o ritmo de suas próprias descobertas.

Formou-se em medicina em 1896, na Universidade de Roma. No ano seguinte, seguindo seus instintos, decidiu estudar as crianças deficientes e sinalizou para o fato de que, mais do que clínico, o problema de tais crianças era pedagógico. Em 1898, expôs suas ideias sobre este fato no congresso pedagógico de Turim.

A seguir, foi para Londres e Paris para estudar e, assim, aprofundar-se em seus estudos, cursou filosofia na Universidade de Roma e Psicologia Experimental, convencida de que a educação das crianças tinha de ter seu primeiro e essencial fundamento no conhecimento científico, somático e psíquico de seu ser. As obras de Itard e Séguin, célebres mestres da educação de crianças especiais, a ajudaram a aprofundar os problemas da dita educação especial.

O trabalho desenvolvido pela pedagoga entre crianças especiais, mediante uma experiência prática e fecunda, trouxe, como consequência, o aparecimento de uma Maria Montessori teórica e organizadora de um método geral da educação infantil. Em janeiro de 1907, atendendo a solicitações do Instituto dei Beni Stabili, Montessori abria em um dos novos bairros de trabalhadores a primeira “Casa dos Meninos”, seguida, em pouco tempo, por outra, também situada em Roma. Dali a instituição difundiu-se pela Itália e pelo mundo, com a característica de ser uma instituição independente, organizada por um modo cada vez mais claro e um método original de educação infantil.

Este método, já maduro pela experiência e pela reflexão, foi exposto por Montessori no “Il metodo della pedagogia scientifica aplicatto all’autoeducazione infantile nella casa dei bambini” (1909), mais tarde editado como “La Scoperta Del Bambino” e traduzido aos principais idiomas.

O método consistia em desenvolver a autonomia da criança, que encontrava na “casa” o material indispensável para o exercício dos sentidos, os objetos apropriados a seus desejos e a suas proporções físicas, e a possibilidade de aplicar, com seu trabalho pessoal e segundo sua livre escolha, a solução de problemas práticos interessantes, perante o diverso material disponível.

O princípio dominante era o de deixar fazer, de vigiar e auxiliar se fosse necessário, de ter fé no imenso valor de uma atividade livre desenvolvida visando finalidades concretas adotadas pela criança, capaz de impulsionar um desenvolvimento seguro e de desembocar, aos poucos, em descobertas espontâneas e conquistas seguindo um ritmo natural.

Depois de várias obras lançadas, nos últimos anos de sua vida, Maria Montessori participou de forma competente e notável dos trabalhos da UNESCO e fundou o Centro de Estudos Pedagógicos na Universidade para Estrangeiros de Perusa. Montessori faleceu em Noordwjek (Holanda) em 1952.