Mestre Ataíde

Mestre em Artes Visuais (UDESC, 2010)
Graduada em Licenciatura em Desenho e Plástica (UFSM, 2008)

Mestre Ataíde foi juntamente com Aleijadinho um dos maiores artistas do período Colonial. Nascido Manoel da Costa Ataíde em 18 de outubro 1762 na cidade de Mariana em Minas Gerais, produziu inúmeras obras que se espalham por seu estado. Embora existam poucas referências sobre sua formação artística, sabe-se que ele seguia os cânones da igreja católica importados de Portugal e suas obras de cunho religioso eram baseadas nas gravuras dos livros sagrados e catecismo europeu, além disso, a semelhança entre as pinturas de forro de João Batista de Figueiredo e do Mestre Ataíde sugerem que o artista teria sido discípulo do primeiro.

Assim como outros artistas da época, Mestre Ataíde não se restringiu somente a pintura, seus trabalhos incluíram atividades de douramento e encarnação de imagens, além de trabalhos em talha, pinturas de painéis e pinturas decorativas de forros de igrejas. Gostava das cores vivas e puras, especialmente tons de vermelho, azul, branco, amarelo, sépia e marrom. Os personagens que criava, por vezes, apresentavam características mestiças ressaltando uma arte genuinamente brasileira. Para a criação dos anjos que adornam diversos trabalhos de sua autoria, o artista teria usado como modelos seus próprios filhos. Além disso, sua esposa também teria servido de modelo para a representação da madona mulata no forro da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco de Assis de Ouro Preto. Juntamente com os pintores Bernardo Pires da Silva, Antônio Martins da Silveira e João Batista de Figueiredo formou a Escola de Mariana.

Suas primeiras obras datam de 1781 quando encarna e doura as estátuas de Aleijadinho para o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas do Campo. Destacam-se, entretanto, as pinturas na Igreja da Ordem Terceira de São Francisco de Assis de Ouro Preto, criadas entre 1801 e 1812; também as do forro da capela-mor da Igreja Matriz de Santo Antônio na cidade de Santa Bárbara, datada de 1806; o painel A Última Ceia, no Colégio do Caraça, produzido em 1828; a pintura do forro da capela-mor da Igreja Matriz de Santo Antônio, na cidade de Itaverava, de 1811 e da Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Mariana, de 1823.

O método de execução da pintura de perspectiva das abóbodas das igrejas, a harmonia cromática e a expressividade dos personagens religiosos que retratava influenciaram diversos artistas de sua época.

Em 1818 recebeu da Câmara de Mariana um atestado de professor de “Artes de Arquitetura e Pintura”. Inutilmente, com o atestado em mãos, dirigiu-se a Dom João VI, com o propósito de criar uma escola em Mariana.

Destacando-se como um dos principais nomes do Barroco mineiro do século XIX e da história da arte brasileira, suas obras são até hoje reconhecidas internacionalmente, sendo objeto de estudos de vários eruditos estrangeiros.

Mestre Ataíde morreu em 02 de fevereiro de 1830, sendo sepultado no dia seguinte na Igreja da Irmandade de São Francisco de Assis em Mariana.

Referências bibliográficas:
http://www.jornalismo.ufop.br/lampiao/mestre-ataid/
http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8486/manoel-da-costa-athaide

Arquivado em: Biografias, Pintura