Extremófilos

Estamos acostumados a ver animais em ambientes como rios, florestas ou até mesmo no quintal de nossa casa. Porém, existem espécies de animais que vivem em condições extremas de ambientes. Essa adaptação incrível se deu tanto pela evolução quanto pela capacidade de utilizar muitas coisas desses ambientes a seu favor. A esses animais incríveis damos o nome de extremófilos, ou seja, organismos capazes de viver em ambientes extremos. Estes organismos são muito peculiares tanto na sua forma quanto no seu poder de adaptação e sobrevivência.

A origem desses animais se confunde, em parte, com a origem da própria Terra. Uma das hipóteses mais defendidas é de que a vida na Terra tenha surgido ao redor de fontes hidrotermais nos assoalhos oceânicos. Os extremófilos existem de diversas formas podendo ser procariontes (seres feitos de células simples) ou eucariontes (seres com células complexas), além de serem unicelular (contém apenas uma célula) ou pluricelular (contém várias células).

Existem, pelo menos, cinco tipos principais de extremofilia:

  • Adaptação em ambientes salinos: halófilos;
  • Adaptação a temperaturas elevadas: termófilos e hipertermófilos;
  • Adaptação a temperaturas muito baixas: psicrófilos;
  • Adaptação a extremos de pH: acidófilos e alcalífilos;
  • Adaptação a altos níveis de radiação: microrganismos radioresistentes.

O termo extremófilo foi utilizado pela primeira vez em 1974 por MacElroy. Ele usou o termo ao se referir a ambientes extremos cujas características excluiriam a grande maioria de espécies de vida conhecidas no planeta. Os ambientes amenos, que abrigam boa parte da quantidade de vida da Terra, são os que têm temperatura de até 40 graus, valores de pH próximos da neutralidade, salinidade relativa a dos oceanos, pressão atmosférica e radiação semelhante à superfície terrestre em condições normais. Fora isso, apenas organismos como adaptação muito eficiente conseguiram sobreviver em ambientes fora de tais características citadas.

Os extremófilos são amplamente estudados na astrobiologia, que é um ramo da astronomia que visa compreender as origens da vida na Terra e como a vida poderia se adaptar em outros planetas e luas. Esses animais vivem em condições ambientais muito semelhantes das encontradas em outros locais do cosmos além de alguns se comportarem de maneira muito semelhante aos primeiros tipos de vida no nosso planeta.

Referências:
http://labisismi.fmrp.usp.br/index.php/br/extremofilos
http://ead.hemocentro.fmrp.usp.br/joomla/index.php/publicacoes/ciencia-em-foco/524-extremofilos-no-foco-da-ciencia
http://www1.univap.br/spilling/AB/Aula_11_Extremofilos.pdf

Arquivado em: Biologia