Tecido adiposo

O tecido adiposo é um tipo de tecido conjuntivo formado em sua maioria por células adiposas, também conhecidas como adipócitos. O tecido adiposo encontra-se distribuído por todo o corpo e em pessoas com peso normal podem representar entre 20 a 25% do peso corporal na mulher e de 15 a 20% no homem.

É no tecido adiposo que encontramos o maior depósito de energia do corpo. Esta energia está armazenada na forma de triglicerídeos. O corpo humano também é capaz de armazenar energia em outros tipos celulares, como nos hepatócitos, por exemplo, porém a energia é armazenada sob a forma de glicogênio. Os triglicerídeos são mais eficientes como reserva energética porque fornecem 9,3 kcal/g contra apenas 4,I kcal/g fornecidas pelo glicogênio. Os triglicerídeos do tecido adiposo não são depósitos estáveis, porém se renovam continuamente, e o tecido é muito influenciado por estímulos nervosos e hormonais.

Além de servir de reserva energética, o tecido adiposo é responsável pelas diferenças do contorno do corpo do homem e da mulher, isolamento térmico, preenchimento de espaços entre outros tecidos e manutenção da posição correta de alguns órgãos. Esse tecido também possui função secretora, sintetizando diversos tipos de moléculas.

Classificação

Existem dois tipos de tecido adiposo que apresentam distribuição corporal, estrutura e fisiologias diferentes. O primeiro deles é o tecido adiposo unilocular ou amarelo, cujas células apresentam, quando completamente desenvolvidas, uma única gota de lipídio ocupando quase todo o citoplasma, já o segundo é chamado de tecido adiposo multilocular, ou marrom/pardo e apresenta em seu interior inúmeras gotículas lipídicas e um grande número de mitocôndrias.

O tecido adiposo unilocular apresenta coloração variável entre o branco e o amarelo-escuro, dependendo da dieta e se deve ao acúmulo de carotenos dissolvidos nas gotículas de gordura. Quase todo tecido adiposo encontrado em seres humanos é do tipo unilocular e a sua localização e acúmulo é influenciada pela idade e sexo do indivíduo. Em recém-nascidos este tipo de tecido adiposo é encontrado sob a forma de uma fina camada uniforma sob a pele e com a idade tende a reduzir a sua área e se localizar em regiões específicas determinadas principalmente pela ação de hormônios sexuais e hormônios produzidos pela camada cortical da glândula adrenal.

O tecido unilocular apresenta septos de conjuntivo, que contêm vasos e nervos. Desses septos partem fibras reticulares (colágeno III) que sustentam as células adiposas. A vascularização deste tecido é muito abundante quando se considera a pequena quantidade de citoplasma funcionante. A relação volume de capilar sanguíneo/volume de citoplasma é maior no tecido adiposo do que no músculo estriado, por exemplo.

O tecido adiposo multilocular é também conhecido como pardo devido a sua coloração característica. Esta coloração é devido a alta vascularização e presença de muitas mitocôndrias no citoplasma de suas células. Este tipo de tecido é abundante em animais que hibernam e em seres humanos, a sua localização é limitada tendo em recém-nascidos uma maior distribuição que em crianças e adultos. A principal função do tecido adiposo pardo é a produção de calor.

Bibliografia:
Histologia básica I L.C.Junqueira e José Carneiro. - [12 . ed]. - Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

Hernadez F Carvalho, Carla Beatriz Collares Buzato. Células: Uma abordagem multidisciplinar. Editora Manole, 2005

Abraham L. Kierszenbaum. Histologia e Biologia celular, Uma introdução à patologia. 3ª edição. Elsevier, 2012

Arquivado em: Anatomia, Histologia