Teoria de Lamarck

O Lamarckismo foi uma teoria proposta por Jean-Baptiste Lamarck, um naturalista francês. A Teoria de Lamarck tenta explicar a evolução das espécies. Em 1809, ele publicou o livro Filosofia Zoológica e introduziu que o ambiente em mudança fazia com que os organismos mudassem de comportamento.

As leis de Lamarck

O livro Filosofia Zoológica introduzia duas leis propostas por Lamarck. A primeira leia era a Lei do uso e desuso: os organismos tendiam a desenvolver os órgãos que mais usavam e entrava em desuso aqueles órgãos que eram menos utilizados. A inutilização de certos órgãos e utilização massiva de outros órgãos estaria intrinsecamente ligada às mudanças no ambiente em que o organismo estava inserido.

A segunda lei era a Lei de transmissão dos caracteres adquiridos: as características dos órgãos mais utilizados e dos menos utilizados iriam ser passados para as gerações futuras.

Alguns exemplos das leis de Lamarck chegaram a ser propostos como o pescoço das girafas. Ao tentarem se adaptar ao meio em que viviam e para se alimentar melhor das folhas que ficam nas partes mais altas das árvores, as girafas começaram a esticar seus pescoços. Esta característica e a necessidade de comer folhas em locais mais altos foram transmitidas por várias gerações.

Quando proposto, as teorias de Lamarck foram bastante rejeitadas pela comunidade científica da época. Ainda não sabiam sobre as questões envolvendo heranças genéticas e todas as espécies eram vistas como imutáveis, ou seja, suas características eram as mesmas desde sempre e não passavam por mudanças.

Outra questão que coloca o Lamarckismo em cheque é a verificação dos caracteres adquiridos. Basicamente, condições que os organismos passam a exercer não são transmitidos para as gerações futuras; por exemplo, alguém que faça atividades físicas e desenvolva músculos não passará essa característica (de ter músculos desenvolvidos) para seus filhos e netos. Uma girafa que esticava seu pescoço não passaria essa característica (de esticar seu pescoço) para as gerações futuras.

Lamarckismo e Darwinismo

As diferenças entre o Lamarckismo e o Darwinismo são basicamente em três pontos. Lamarck acreditava que o meio induzia diretamente os organismos a mudarem de comportamento e criarem novas adaptações. Já Darwin defendia que o meio exercia uma seleção natural, ou seja, favorecia apenas os organismos que tinham condições de sobreviver.

Para Lamarck, novas caraterísticas dos organismos eram tidas quando eles usavam mais ou menos determinados órgãos conforme as condições que o ambiente fornecia. Darwin acreditava que cada indivíduo apresentava características que possibilitariam a sobrevivência no ambiente.

Lamarck defendia que as características adquiridas eram transmitidas aos seus descendentes e Darwin defendia que os mais aptos ao ambiente viviam mais tempo, reproduziam-se com mais frequência e em maior número e transmitiam suas características aos descendentes. Assim, as girafas com pescoços curtos acabavam morrendo antes de se reproduzirem, por não alcançarem as folhas das árvores.

Arquivado em: Evolução