Tropismo

Por Caroline Faria
Tropismos são movimentos de mudança de direção de crescimento que ocorrem em organismos vivos ou suas partes devido ao estímulo de um fator externo. Quando o movimento ocorre em direção ao fator estimulante diz-se que é positivo. Quando ocorre em direção contrária, diz-se que é negativo.

Assim como o “nastismo”, o tropismo é um movimento de crescimento do organismo. Ao deslocamento do organismo completamente, devido ao estímulo de um fator externo, dá-se o nome de “tactismo”.

O tropismo é uma característica muito comum de vegetais, mas também pode ocorrer com outros organismos vivos, como os vírus ou os fungos.

Quando os vírus infectam um organismo eles tendem a atacar determinados tecidos ou órgãos de acordo com a capacidade do vírus e as características do local atacado. Então dizemos, por exemplo, que o vírus da AIDS “tem tropismo positivo” por células do sistema imunológico, porque ele só ataca estas células.

A mudança de direção depende da direção de incidência do fator estimulante. Sobre os vegetais, este deve incidir unilateralmente provocando a distribuição irregular das auxinas (substâncias que ativam o crescimento das plantas; a mais comum é o ácido indolacético) e, com isso, as alterações características. Essa distribuição irregular das auxinas pode ser atribuída ao seu transporte lateral (teoria mais aceita), ou sua produção/destruição desigual nas partes do vegetal.

De acordo com o tipo de agente estimulante, o tropismo pode ser classificado em:

Fototropismo: é a resposta de um organismo a uma fonte de luz. Quando um vegetal recebe iluminação unilateral, por exemplo, a auxina é transportada para o lado não iluminado fazendo com que esse cresça mais que o lado iluminado, provocando, assim, a curvatura do vegetal. Na raiz do vegetal, essa curvatura será negativa e, no caule, será positiva. Os fungos também são condicionados pelo fototropismo. Podemos ver isso, quando encontramos liquens que crescem apenas em locais não iluminados.

Quimiotropismo: ocorre quando um organismo cresce direcionado por um estímulo químico como um mineral ou a água.

Geotropismo: esse movimento ocorre quando o crescimento se modifica de acordo com a ação da gravidade. Nos vegetais, na região do caule, o acúmulo de auxinas na parte inferior do vegetal fará com que essa parte cresça mais que o restante do organismo acarretando uma curvatura na direção contrária a força da gravidade. Já na raiz, ocorrerá o alongamento da parte superior e consequente curvatura no sentido da força gravitacional (para baixo). Uma das teorias que explicam porque isso ocorre é a Teoria dos Estatólitos (HASENTEIN & EVANS, 1988) que diz que a raiz, que é revestida por uma camada chamada “coifa”, possui nesta camada, células que contém um grânulo mineral chamado “estatólito” responsável por “indicar” para a célula qual a direção da força gravitacional. Ao colocar uma raiz na horizontal, por exemplo, os estatólitos “caem” para a parte inferior das células da coifa, estimulando o transporte das auxinas na parte superior e, assim, a raiz cresce para baixo, ou seja, no sentido da força gravitacional.

Tigmotropismo: esse tipo de crescimento ocorre quando o organismo ao crescer encontra um objeto sólido e se desenvolve ao redor dele. Nesse caso, para os vegetais, as células externas se alongam enquanto as células que entram em contato com o sólido se encurtam.

Fontes:
http://www.colegioweb.com.br/biologia/tropismo.html
http://marista.edu.br/maceio/files/2009/11/movimentos-vegetais.pdf
http://www.gepe.ufpr.br/pdfs/aulas/7%20MOVIMENTOS%20VEGETAIS.pdf