Epistemologia de Toulmin

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

O termo epistemologia se refere ao estudo sobre a produção do conhecimento. Quando se menciona, no entanto, a epistemologia das ciências, se está abordando os pensadores que se preocuparam em investigar como se constrói um conhecimento de natureza científica. Dentre eles, Stephen Toulmin merece destaque.

Toulmin nasceu em 1922 em Londres, é graduado em matemática e física, e obteve doutorado em filosofia em Cambridge. Tem realizado trabalhos acadêmicos em conceituadas universidades dos Estados Unidos, entre outras. Desde sua formação tem atuado como professor.

Buscar-se-á propor um breve resumo sobre os principais conceitos em Toulmin, não em sentido de resumo de toda sua obra ou resenha, mas em caráter pessoal de quem escreve, através dos itens abaixo:

  • Sua epistemologia basicamente investiga a forma pela qual se expressa a compreensão humana e como progride o conhecimento científico.
  • Assim como investiga a produção do conhecimento científico ao longo do tempo em visão histórico e social.
  • Afirma que as disciplinas nascem e morrem dentro de uma perspectiva Darwiniana, de adaptação ao que é imposto.
  • Influência extrínseca no desenvolvimento da ciência, o que é  abordado em sua epistemologia pela primeira vez.
  • Conceito de disciplina, a ciência como representação social (racional), herança conceitual, ecológica.
  • Aborda que a autoridade dos conceitos depende sempre de fatores sociais, históricos e culturais.
  • O conceito é dinâmico e sempre pode evoluir, conforme às espécies vivas na visão de Charles Darwin.
  • Os conceitos, seu principal ponto de investigação, estão na base da compreensão humana. Não se pode obter conhecimentos a não ser por meio de conceitos.
  • O conhecimento científico implica em um tripé de linguagem, representação e aplicação.
  • De acordo com sua visão, “ou se publica, ou se morre”. Essa é a postura científica predominante de hoje. Fórum institucional dominado pelos periódicos. U pesquisador consolida-se apenas publicando e demonstrando aquilo que faz.
  • As teorias mais aptas sobrevivem, ainda na perspectiva Darwiniana.
  • A racionalidade não é apenas seguir uma lógica. A racionalidade sempre supera a logicidade.
  • Uma mudança conceitual deve sempre ser anti-huhniana (mudança de paradigma) de modo que a mudança conceitual é evolutiva, e nunca aleatória.
  • A ciência é compreendida como uma empresa racional, que inevitavelmente integra aspectos intelectuais e institucionais.
  • Apresenta aspectos introdutórios da existência de um papel integrador e complementar do conhecimento na evolução da ciência. Este, no entanto, como já afirmara outros epistemólogos, é sempre passível de evolução.

Referências:
MOREIRA, Marco Antônio; MASSONI, Neusa Teresinha; Epistemologias do Século XX, EPU, São Paulo, 2011.

Arquivado em: Ciências