Charles Darwin

Graduada em Ciências Biológicas (UNISUAM, 2010)
Graduada em Zootecnia (FAGRAM, 2006)

Charles Darwin nasceu no dia 12 de fevereiro de 1809, na Inglaterra. Sua cidade natal de Shrewsburry era belíssima, o que pode ter causado seu fascínio pela natureza.

Enquanto criança vivia com sua mãe adoentada que não tinha tempo de cuidar dele e seu pai, um aristocrata que comandava a família com mãos de ferro, temia que seu filho não fosse capaz de ser uma pessoa respeitável. Com isso, o mandou para a Universidade de Edimburgo, na Escócia, para estudar Medicina. No entanto, Charles desistiu quando teve que assistir a uma aula de anatomia. Voltou para casa e seu pai o convenceu a cursar teologia em Cambridge, como objetivo de torná-lo um pastor.

Charles Darwin em 1881. Foto de Herbert Rose Barraud / via Wikimedia Commons

Na faculdade de teologia conheceu o professor Henslow, um botânico de coração, que o despertou novamente o amor pela natureza, se tornou um ávido conhecedor e colecionador de espécies. Henslow sugeriu para o capitão do navio Beagle, que estava precisando de um naturalista, para acompanhar na expedição que iriam fazer, o nome de Darwin. Esta missão tinha por objetivo mapear mares e costas que eram desconhecidas pela Marinha Britânica e duraria 5 anos. Mesmo ele não tendo qualificação, foi aceito pelo capitão, e desempenhou sua função com perfeição, aproveitando também para coletar tudo que era possível, desde rochas e fósseis, até animais de grande porte, tudo que via e coletava era descrito num diário. Todo o material coletado era despachado para o professor, o que garantiu o seu reconhecimento como naturalista.

Em 1836, Darwin voltou para Inglaterra, convicto que as espécies sofriam mudanças, mas não sabia como isso acontecia. Ele observou que animais existiam com pequenas variações em cada ilha do arquipélago de Galápagos, percebendo que cada espécie vinha de um ancestral comum. Ele estava indo contra as leis de Deus, mas acreditava no que estava observando. A elite dos estudiosos fizeram fila para conduzir o jovem para o seu seleto ciclo, mas ele se sentia atormentado por viver uma vida dupla, já que não divulgou tudo que pensava sobre a evolução ou transmutação, como era chamada na época.

Em 1839, publicou o livro chamado “A Viagem do Beagle”, um relato sobre a sua expedição a bordo do navio, rapidamente tornou-se um sucesso de vendas e lhe trouxe reconhecimento.

Darwin se casou com sua prima, Emma, que era muito religiosa e ele deixou em segundo plano a teoria da evolução, já que não queria desaponta-la. Se mudaram para o interior da Inglaterra, onde encontrou um refúgio seguro para continuar com suas ideias. E em 1842, escreveu um ensaio esboçando a teria da evolução.

Trabalhou em outros estudos como, “A Variação de Animais e Plantas Domesticadas”, “A Descendência do Homem”, mas o tema principal do seu estudo sempre foi a evolução. Ele observou que as espécies evoluem lentamente e continuamente através dos tempos pela seleção natural, onde os mais aptos sobrevivem. E em 1859, Darwin publica seu livro “A Origem das Espécies”, ele não poderia mais esperar já que havia recebido uma carta de um trabalho parecido com o seu. Com esta obra ele explica como as espécies surgem, se modificam e são extintas, mudando como a Biologia era vista. No entanto, sua teoria não foi bem aceita, já que ia contra o pensamento religioso da época.

Darwin morreu em 1872, deixando uma obra extensa e foi sepultado na abadia de Westminster, ao lado de Isaac Newton.

Referências bibliográficas:

http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/bioikos/article/viewFile/954/931

http://ecologia.ib.usp.br/ffa/arquivos/abril/darwin1.pdf

https://www2.cead.ufv.br/sistemas/pvanet/files/conteudo/777/darwinbiografiailustrado.pdf

http://www.pucsp.br/pos/cesima/schenberg/alunos/marcelmarques/hist%F3ria.htm

Arquivado em: Biografias, Evolução