Difusão facilitada

Por Mayara Lopes Cardoso
Para que as células funcionem de maneira eficiente no organismo é preciso que ela esteja em constante equilíbrio com o meio. Esse equilíbrio se dá através de uma espécie de “troca” entre o interior e o exterior da célula pra que não haja nem falta e nem excesso de qualquer substância.

Algumas substâncias simplesmente atravessam a membrana da célula, pois são pequenas e têm baixo peso molecular, outras, ainda, embora tenham alto peso molecular, entram normalmente na célula por serem lipossolúveis, tendo, então, afinidade com os lipídios que formam a membrana. No entanto, outras substâncias importantes para o corpo, além de terem alto peso molecular, também não são lipossolúveis, e necessitam, portanto, de facilitadores de transporte. Um dos mecanismos utilizados pela célula para facilita a entrada dessas substâncias é a difusão facilitada, processo de transporte de íons e moléculas (que ao longo do texto serão chamados de substratos, pois sofrem ação de enzimas) pela membrana plasmática, de um meio mais concentrado para o menos concentrado, sem gasto de energia. Para que esse transporte ocorra, há a interferência de enzimas transportadoras, denominadas permeases.

Na superfície da membrana plasmática, parte que mantêm contato com o meio, existem inúmeros tipos de permeases, que funcionam com base no esquema chave-fechadura, ou seja, cada um dessas proteínas carreadoras é responsável pelo transporte de um tipo substância. As permeases se ligam aos substratos e os transportam para o interior da célula até mantê-la em equilíbrio com o meio. Moléculas essenciais para a manutenção do organismo são transportadas para o interior das células por difusão facilitada, como os carboidratos usados como fontes de energia, os nucleotídeos que compõem os ácidos nucléicos (DNA e RNA), os aminoácidos que se unem e formam proteínas, oxigênio que participa da respiração celular, além de vários sais minerais essenciais.

Alguns distúrbios genéticos podem ser provenientes de falhas das permeases da membrana plasmática, um exemplo disso é a baixa estatura dos pigmeus, povos que vivem em regiões da Ásia, África, Oceania e América do Sul, e quando adultos chegam a ter, em média 1,35m de altura. O que ocorre nesse caso é a falta de permeases específicas que se combinem com hormônios de crescimento de modo a introduzi-lo na célula, portanto, se esse hormônio não chega ao interior da célula, não há crescimento.

Referências:
http://mundoeducacao.uol.com.br/biologia/difusao-facilitada.htm
http://www.oocities.org/collegepark/residence/4589/glicose/difusaofacil.htm
http://www.infopedia.pt/$difusao-facilitada