Hieróglifo

Por Fernando Sirugi
Hieróglifo pode ser definido como uma escrita sagrada, e era dominada apenas por pessoas que tinham o poder sobre a população, como: sacerdotes, membros da realeza e escribas. Somente esses tinham o conhecimento de ler e escrever essa escrita sagrada.

O Hieróglifo é provavelmente a escrita organizada mais antiga do mundo, e era basicamente usada para marcações em túmulos e templos. Como todo o mundo, a escrita hieroglífica também evoluiu para formas mais simplificadas, as formas de evolução da escrita hieroglífica são:

* Hierático: as mesmas bases dos hieróglifos, só que se podiam escrever (pintar) em papiros ou até mesmo em placas de barros.

* Demótico: nessa evolução os hieróglifos começaram a ficar mais bonitos aparentemente, isso foi possível com a adaptação de sinais gregos aos hieróglifos.

O maior uso dessa forma de escrita aconteceu com o povo egípcio, que usou a escrita hieroglífica durante um período de 3500 anos para escrever sua língua. Durante todo esse tempo em que foi utilizado, os hieróglifos continham cerca 6900 sinais (que seriam o alfabeto hoje em dia), e essa quantidade de sinais foi o que fez este tipo de escrita desaparecer, pois se torna quase impossível decifrar tantos códigos. Um dos textos escritos em hieróglifos foi a Pedra de Roseta.

Pedra da Roseta: foi um texto escrito em um bloco de granito, esse texto só foi aparecer no ano de 1799, foi uma descoberta da tripulação de Napoleão Bonaparte. Se hoje podemos entender um pouco melhor os hieróglifos foi graças a esse texto, que foi decifrado em 1822 por um estudioso da língua grega. Hoje em dia essa pedra se encontra em Londres em um museu, e isso só pode ocorrer graças o Tratado da Capitulação.

O desaparecimento dos hieróglifos acorreu, pois ocorreu uma mistura muito intensa na civilização egípcia que mudou completamente a língua e a escrita local. O cristianismo meio que indiretamente também foi o responsável para que a escrita hieroglífica se perdesse com o tempo, pois ao negou a religião politeísta, tudo que para a igreja católica tinha alguma relação com os deuses antigos era considerado infiel, com isso não poderia mais adorar.

Os últimos homens que se tem noticias que utilizaram este tipo de escrita foram alguns sacerdotes egípcios da era cristã.

Com o passar do tempo o estudo da linguagem dos Egípcios evoluiu muito, com isso foi possível um melhor entendimento da gramática hieroglífica e do seu sistema verbal.

Na atualidade a linguagem e escrita hieroglífica podem ser consideradas como uma escrita morta, mas em algumas situações pode ainda ser encontradas em alguns artesanatos.