Mochicas

Por Tiago Ferreira da Silva
Muito antes das civilizações dos Astecas, Maias e Incas, haviam outras culturas que povoaram e contribuíram para as transformações sociais que aconteceram no continente americano. Dentre estas culturas, os Mochicas ou moches, são uma delas.

Eles se desenvolveram no Peru por volta do século I e constituíram um império centralizado nas mãos de um nobre. Atribui-se a esse povo a evolução de um sistema de cultivação de terra através de engenhosos aquedutos, o que explicava a grande produção agrícola. Dentre os alimentos e plantas cultivados, estavam a batata, o feijão e o milho, que eram abundantes nos solos.

Para locomoverem grandes distâncias, desenvolveram a atividade do pastoreio, domesticando lhamas, que também lhe serviam de alimento. Eles também eram hábeis pescadores e comiam bastante peixe e frutos do mar que, de certa forma, lhe davam vigor para o trabalho.

Os mochicas também eram artistas prodigiosos. Foram pioneiros no uso de moldes para vasos de barro e nas reproduções fiéis aos traços humanos, que serviu de referência para outras sociedades americanas antigas registrarem seus costumes.

As obras arquitetônicas deste povo eram complexas e bastante desenvolvidas para a época. Construíram o Templo do Sol em adoração ao seu deus com mais de 50 milhões de tijolos, sem contar as inúmeras obras artísticas das quais se destacam as estatuetas e os materiais trabalhados com cerâmica, pedra, metal e tecelagem.

Alguns historiadores acreditam que os mochicas foram a principal influência para a formação das sociedades posteriores, como os incas. Eram patriarcais – ou seja, só cabia aos homens os cargos mais importantes do império. Os líderes políticos eram sacerdotais e formaram um Estado onde a sociedade era amplamente dividida em mandatários e camponeses, que esporadicamente desenvolviam outras atividades quando a agricultura estava estabilizada.

Não se tem muitos registros precisos desta civilização, mas acredita-se que ela se extinguiu devido às fortes instabilidades climáticas que surgiram no século VIII, como o fenômeno El Nino. Os períodos fortes de seca e, posteriormente, de enchentes torrenciais, deterioraram a agricultura, principal atividade dos mochicas. Sem poder cultivar alimentos, passaram por sérias dificuldades e acabaram desaparecendo.

Fontes:
http://www.brasilescola.com/historia-da-america/mochicasintroducao.htm
http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=283
http://www.gabrielbernat.es/peru/preinca/cultpreincaicas/dregionales/MOCHE/moche.html