Religião de mistérios

Por Emerson Santiago
Religião de mistério é o nome utilizado para se referir a qualquer um dos cultos religiosos do mundo greco-romano, cuja participação era reservada somente aos iniciados. A proliferação de tais cultos está relacionado com a intensa miscigenação e trocas culturais ocorridas no período helenístico que permitiu que as religiões e mitos de origem oriental (cultos persas, frígios, babilônicos, egípcios) e cultos mediterrâneos (etruscos e gregos sobretudo) se tornassem conhecidos em meio às sociedades grega e romana, e que tivessem parte ou a totalidade de seus elementos adotados. As religiões de mistérios se tornaram comuns na Antiguidade, e entre os mais famosos estão os mistérios de Elêusis, o orfismo, o pitagorismo, o culto a Ísis, o culto a Mitra e os movimentos gnósticos. Nos tempos modernos, são exemplos de religiões de mistérios o cristianismo esotérico, o rosacrucianismo e a religião dos druzos.

A principal característica desse tipo de religião é o segredo associado aos elementos da iniciação e às práticas do culto, que não eram revelados a estranhos. Outro ponto importante destes cultos é que estes não realizavam qualquer parte de seu rito por meio de liturgias públicas ou destinadas ao publico em geral. Os seus mistérios espirituais iam sendo gradualmente desvendados apenas aos seus adeptos, permitindo ao iniciado evoluir um degrau na escala de progresso espiritual. Por isso, são caracterizados também como movimentos de natureza iniciática, e em que não existem sacerdotes que pratiquem atos propriamente litúrgicos, mas apenas mestres que orientam e auxiliam os seus educandos nos desenvolvimento dos estudos místicos e espirituais. O Iniciado nos mistérios conquistaria a libertação dos condicionantes astrológicos e cósmicos, não estaria mais à mercê da Fortuna (destino incerto), conduzindo seus caminhos de forma mais consciente e autônoma.

Outro aspecto de destaque era a ideia do ciclo de migração das almas e a reencarnação, que significava um processo de evolução espiritual. Era um sistema diferente da visão cristã clássica, onde uma alma, após uma única existência terrena, poderia ficar eternamente condenada ao inferno e em permanente estado de condenação, nem eternamente no céu em eterno estado de graça. As almas evoluiriam através de um contínuo ciclo de experiências existenciais,  através das quais edificam um processo de evolução espiritual. As correntes místicas e esotéricas do cristianismo defendem que a mensagem de Jesus Cristo representou uma revelação espiritual, que estimulava o homem a cultivar as virtudes do amor e do altruísmo, como forma de aperfeiçoamento do espírito.

As religiões de mistério vão se extinguindo aos poucos, devido à influência crescente do cristianismo. Vistos como heresias, e pela própria natureza secreta e seletiva dos cultos, estes acabaram por angariar um número cada vez menor de adeptos, até desaparecerem por completo por volta do século V.

Bibliografia:
Religiões de mistérios. Disponível em: <http://cahybra.com/index.php/religioes-de-misterios/>. Acesso em: 07 ago. 2012.
Religiões de mistérios. Disponível em: <http://joaobosco.wordpress.com/2010/03/27/religioes-de-misterio/>. Acesso em: 07 ago. 2012.
As religiões de mistérios. Disponível em: <http://www.astrologosastrologia.com.pt/Gnosticismo_Religioes+Misterios&Cristianismo+Esoterico.htm>. Acesso em: 07 ago. 2012.