Relógio de Sol

Por Gabriella Porto
Um relógio de Sol é um dispositivo obsoleto, que servia para determinar a hora do dia, usando como referência a posição do Sol. Os tipos de relógios mais comuns, conhecidos como relógios de jardim, feitos sobre um desenho horizontal, o Sol projeta sua sombra sobre a superfície com linhas que indicam as horas do dia. Uma haste com uma ponta fina, ou afiada, é colocada de certa forma sobre o relógio, para que, quando o Sol se mova, a sombra da haste se alinhe com as diferentes linhas das horas.

Todos os relógios de sol devem ser alinhados com o eixo de rotação da Terra, para que produza uma medição precisa da hora correta. Na maioria dos estilos de relógio, ele precisa ser apontado em direção do norte verdadeiro (ao invés do magnético), ou seja, o ângulo horizontal precisa ser igual à latitude geográfica da posição em que está localizado o relógio de Sol. Em relógios decorativos, é comum que eles tenham ângulos diferentes, que não podem ser ajustados para indicarem a hora correta. Geralmente, relógios de sol podem ser ajustados para indicar a hora aparente, sempre de acordo com a posição do Sol, ou mesmo o horário padrão, que usamos nos relógios atuais.

Os relógios de sol mais antigos de que se tem noticia em registros arqueológicos são dos obeliscos (construídos em 3500 a.C.) e os relógios de sombra (1500 a.C.), que, respectivamente, eram usados pelos astrônomos antigos do Egito e da Babilônia. Mas é bem provável que os seres humanos estivessem usando o comprimento das sombras para saberem a hora mesmo em tempos mais antigos, apesar dessa hipótese ser de difícil confirmação. A cerca de 700 a.C, o Velho Testamento descreve um relógio de sol, o “relógio de Ahaz”, que é mencionado em Isaías 38:8 e II Reis 20:9. Vitrúvio, o escritor romano, lista uma série de relógios de sol conhecidos naquele tempo. O astrônomo Padovani publicou uma dissertação sobre o relógio de sol em 1570, no qual, ele dava instruções para a construção e posicionamento de um relógios de sol verticais e horizontais. Em 1620, o astrônomo e matemático, Giuseppe Biancani escreveu o seu “Constructio instrumenti ad horologia”, que ensinava as técnicas para a criação de um relógio de sol perfeito.

Por causa da inclinação natural do eixo de rotação e o formato elíptico da Terra, não existe uma orientação fixa para o relógio de sol, que sempre mantenha uma afinidade geométrica constante com o Sol durante o ano inteiro. Por isso, não é indicado que um relógio de sol funcional seja construído totalmente fixo, que mostre a hora certa durante todos o períodos do ano. Um relógio de sol construído em função de um lugar específico, somente mostrará a hora aparente daquele exato ponto, compartilhando apenas com lugares alinhados num mesmo meridiano.

Atualmente, os relógios de sol são, basicamente, construídos como objeto de decoração e curiosidade, sendo fixados em lugares públicos como jardins, parques e praças. Também são usados com uma finalidade educacional, para gerar interesse na astronomia nas crianças, e até mesmo nos adultos, sendo usados em escolas ou museus. Tradicionalmente, os relógios de sol costumavam ter, escrito neles, um lema. O lema normalmente era uma epígrafe simples, muitas vezes sobre reflexões que falavam sobre a passagem do tempo e a brevidade da vida.

Fontes:
http://www.gea.org.br/relogio.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Sundial
Ilustração: http://www.timekeepingsite.org/clock.htm