Vinicultura

Por Ana Lucia Santana
Muitas vezes a viticultura e a vinicultura se confundem, portanto é importante distinguir bem os dois conceitos. Viticultura é a produção das vinhas, é a etapa na qual é imprescindível cultivar com muita atenção as plantações. Já a vinicultura se refere ao estágio da elaboração do vinho.

Outra idéia fundamental é a da vitivinicultura, que funde os dois processos acima descritos, levando em conta a origem do mecanismo produtor, desde o cultivo das uvas, até sua transformação em vinho. Esta bebida é considerada até hoje o néctar criado pelos deuses, um alimento cercado por uma aura misteriosa, embriagante. De símbolo espiritual à fonte de inspiração poética, este líquido especial está presente tanto nas grandes festas quanto no tratamento de enfermidades, na profilaxia de várias doenças e nas cerimônias mitológicas. Hoje o vinho também é amplamente utilizado na estética facial e corporal.

A Vinicultura engloba todas as etapas de produção, preservação, o processo de embalar o produto final e sua comercialização no mercado. Há três mecanismos básicos de transformação da uva em vinho, ou seja, de vinificação – tinto, branco e rosé.

Após a colheita da uva, ela é transportada para a vinícola. Ali é estabelecida a identidade do produto, ele é pesado e é avaliada a exatidão da quantidade de açúcar e da acidez. Logo depois o fruto é posto em uma esteira e daí conduzido até um equipamento que tem como função retirar os pequenos ramos que sustêm o cacho. A próxima etapa é encaminhar a uva, em uma segunda esteira, até uma máquina que comprime os corpos, a qual funciona com ar sob pressão, que assim partirá sua casca, libertando assim o sumo, o qual é extraído por meio de uma bomba e diretamente depositado em tanques nos quais será fermentado.

Posteriormente o produtor escolherá que modelo de envelhecimento e de filtração ele tem a intenção de seguir como critério. O próximo passo é engarrafar o produto e, se não for necessário um novo estágio de envelhecimento, ele partirá para a etapa de distribuição comercial no mercado.

Na opção pela vinificação do tinto, a uva é fermentada completamente – a casca, o sumo e as sementes compartilham este processo. É justamente a casca que imprime ao líquido a conhecida cor tinta. Quanto mais tempo o invólucro exterior da fruta estiver próximo ao suco, mais escuro será o vinho produzido.

Na escolha do vinho branco, o tempo em que a casca da uva permanecerá próxima ao suco também determinará que espécie de bebida será elaborada. Algumas vezes o vinho terá um ar mais fresco quando o invólucro for separado logo depois da prensagem. Quem desejar, porém, um produto com maior teor de álcool, deverá deixar a casca por mais tempo. É essencial também ajustar bem a temperatura do processo de fermentação.

No módulo rosé, podem-se seguir duas alternativas. Na primeira o mecanismo é similar ao da produção do vinho tinto, retirando-se a casca quando a cor que se almeja alcançar já está presente; na segunda há uma mescla dos tintos e brancos.

Atualmente há várias novas tecnologias para a produção de vinho, tais como a utilização de ventiladores em momentos de geada, outras maneiras de proceder com as videiras, técnicas alternativas de clonagem de plantas e modernas metodologias para a elaboração de vinhos – fermentação a reduzidas temperaturas, filtragem com cerâmica, entre outras.

Fontes
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20070811211057AA62ByU
http://pt.wikipedia.org/wiki/Vinicultura