Cólera

Mestre em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas (FIOCRUZ, 2011)
Graduada em Biologia (UGF-RJ, 1993)

A cólera é uma infecção intestinal aguda, causada pela ingestão de água e comida contaminada. É causada pela bactéria do tipo vibrião denominada Vibrio cholerae (vibrião colérico). É uma doença conhecida na Índia há vários séculos de onde se disseminou para todas as partes do mundo com as grandes navegações. Na década de 1960 ocorreu uma pandemia que se propagou pela Ásia, África e Europa. No ano de 1991, no Brasil, a cólera reapareceu após um século sem casos da doença, acometendo primeiramente a população ribeirinha da Amazônia. Até o momento não há relato de transmissão de pessoa a pessoa.

Transmissão

A transmissão ocorre através da ingestão de água e alimentos contaminados com a bactéria. Indivíduos que não possuem sintomas, mas que possuem a bactéria no intestino podem transmiti-la através das fezes que podem atingir água utilizada para beber, cozinhar e lavar alimentos.

Sintomas

A cólera pode ser benigna com cura espontânea, mas também pode ter evolução rápida, com o paciente indo a óbito em apenas 24 horas. Os sintomas se manifestam após 2 a 3 dias do contágio ou em somente algumas horas. No intestino, a bactéria provoca a produção de grande secreção de líquidos, ocasionando vômitos e diarreia intensa com aspecto de “água de arroz”. Por conta disso, o doente perde muitos líquidos em curto espaço de tempo levando à grave desidratação e morte.

Diagnóstico

Pode ser diagnosticada por meio de amostras de fezes. Mas como a doença tem evolução rápida, o tempo para diagnóstico é curto. Em grandes epidemias, o diagnóstico se dá pelo histórico do paciente e pelos sintomas apresentados.

Tratamento

O tratamento básico consiste na administração de fluidos perdidos com uma solução de reidratação oral (solução de sal, açúcar e água). Em casos mais graves, a reidratação deve ser feita por via intravenosa juntamente com a administração de antibióticos. Existem vacinas (Dukarol e Shanchol) que podem ser utilizadas em áreas endêmicas para diminuir a possibilidade de pegar a cólera. É muito importante que o indivíduo doente seja tratado logo para que o quadro não se agrave e o indivíduo venha a falecer.

Prevenção

Várias medidas de podem ser adotadas, dentre elas:

  • saneamento básico, para que os dejetos humanos não sejam lançados diretamente na natureza, nos rios, lagos, etc.
  • lavar as mãos com sabão sempre que usar o banheiro e sempre antes de preparar os alimentos.
  • utilizar sempre água potável e evitar utilizar água de origem desconhecida para beber ou preparar alimentos.
  • deixar as verduras e alimentos que são comidos crus por 20 minutos em uma solução de água com algumas gotas de vinagre.

Bibliografia:

Soares, JL. Programas de Saúde. Editora Scipione

Tortora, Gerard J. Microbiologia. 10. ed. – Porto Alegre: Artmed, 2012.

Cólera. Disponível em http://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/colera Acessado em 15 de junho de 2017.

Prevenção da Cólera. Disponível em http://www.news-medical.net/health/Cholera-Prevention-(Portuguese).aspx Acessado em 15 de junho de 2017.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças bacterianas