Eclampsia

Por Débora Carvalho Meldau
Eclampsia é uma grave complicação ocorrida durante a gestação e caracteriza-se por convulsões. É definida como um acidente agudo paroxístico de toxemia gravídica, representando a forma mais grave da doença pré-eclampsia.

A paciente acometida por essa doença apresenta hipertensão e proteinúria, normalmente atingindo as mulheres após a segunda metade de gestação (após a 20° semana de gravidez), ou após o parto. Por conseguinte, surgem os sintomas que caracterizam os eclampismo, que são: elevação da albuminúria (eliminação de albumina pela urina), dores de cabeça persistentes, aumento da pressão arterial, edemas, oligúria (diminuição da produção de urina), vertigens, zumbidos, sonolência, fadiga e êmese.

Geralmente, em 10% das gestações há o aparecimento de hipertensão arterial, sendo, que na sua maior parte, na forma de pré-eclampsia leve.

Sua causa ainda não foi completamente elucidada. Sabe-se, todavia, que a existência da placenta é necessária e que não precisa existir o feto. Certos tumores placentários podem causar pré-eclampsia.

Os fatores de risco dessa doença são:

  • Mulheres que engravidam mais velhas, ou então, muito novas (acima de 35 anos e abaixo de 18 anos);
  • Primeira gravidez;
  • Pacientes que possuem histórico de diabetes, hipertensão, pré-eclampsia ou eclampsia, ou casos dessas doenças na família;
  • Mulheres que apresentam problema de obesidade.

O diagnóstico é feito com base nas manifestações clínicas, como pressão arterial elevada, juntamente com resultados de exames laboratoriais de urina e sangue.

O tratamento deve ser feito na prevenção da evolução do quadro de pré-eclampsia para eclampsia, realizado por meio de um minucioso acompanhamento da gestação. Mulheres com pré-eclampsia devem permanecer em repouso durante a gravidez, aferir a pressão regularmente e iniciar uma dieta com pouco sal. Fármacos anti-hipertensivos e anticonvulsivantes são recomendados para os casos mais graves. Após a remoção da placenta, a doença regride espontaneamente.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Eclampsia
http://guiadobebe.uol.com.br/parto/eclampsia.htm
http://www.drauziovarella.com.br/Sintomas/5318/eclampsia-e-pre-eclampsia

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.