Escarlatina

Mestre em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas (FIOCRUZ, 2011)
Graduada em Biologia (UGF-RJ, 1993)

Escarlatina é uma reação do organismo à toxina produzida pela bactéria Streptococcus pyogenes principalmente durante uma amidalite ou dor de garganta. Em casos raros, esta reação pode ocorrer durante um episódio de erisipela ou impetigo. Além das doenças citadas anteriormente, esta bactéria é a mesma que provoca glomerulonefrite infecciosa aguda e febre reumática. A toxina desencadeia uma reação inflamatória na pele, com típicas manchas vermelhas. Afeta principalmente crianças de 5 a 15 anos. Após essa idade, os indivíduos adquirirem imunidade à toxina produzida pela bactéria. É uma bactéria extremamente contagiosa, e com apenas 12 horas de contágio, o indivíduo já pode transmiti-la, mesmo sem sintomas aparentes. Uma curiosidade: o nome da doença é devido à cor das manchas que são vermelho escarlate, daí o nome escarlatina.

Transmissão

A transmissão ocorre pelo contato com secreções de pessoas contaminadas (tosse, espirro e saliva) ou objetos contaminados (copos e talheres). Pode ocorrer também a transmissão através de objetos pessoais (roupa de cama, toalhas) e pelo contato das mãos contaminadas com secreções respiratórias. O período de incubação é de dois a quatro dias.

Sintomas

O início é uma febre e inflamação da garganta. As erupções cutâneas aparecem primeiramente no pescoço e no peito. Essas manchas dão à pele uma textura áspera. Alguns pacientes relatam coceira. Essas lesões se concentram nas axilas, virilhas, cotovelo, formando uma linha vermelha nessas regiões (chamada de Linhas de Pastia). Com a progressão da doença, as manchas se espalham por todo o corpo. Outros sintomas podem se manifestar, como dor abdominal, calafrios, febre, mal estar, dor de cabeça, dor muscular, garganta inflamada, língua vermelha e inchada, náuseas, vômitos e palidez dos lábios.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito por meio do exame clínico do paciente e seus sintomas. É realizado também um teste rápido e a cultura direta para identificação da bactéria, quando houver dúvidas no diagnóstico.

Tratamento

O tratamento é realizado com antibióticos (penicilina V ou amoxicilina) por 10 dias e não deve ser interrompido para que não se desenvolvam complicações. Em pacientes alérgicos à penicilina, usa-se a estreptomicina.

Prevenção

A melhor forma de prevenção é evitar contato com pessoas contaminadas e ao menor sinal da doença procurar o médico e seguir o tratamento à risca.

Bibliografia:

Escarlatina – Sintomas, causas e tratamento. Disponível em http://www.mdsaude.com/2009/09/escarlatina.html

Escarlatina: sintomas, tratamentos e causas. Disponível em http://www.minhavida.com.br/saude/temas/escarlatina

O misterioso retorno da escarlatina, doença antiga que tem desafiado médicos modernos. Disponível em http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/03/160319_escarlatina_retorno_rm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças bacterianas