Ginecomastia

Ginecomastia é o crescimento das mamas nos homens, devido a patologias, estando normalmente associadas a desequilíbrios hormonais.

Pode ocorrer em qualquer fase de mudanças hormonais (infância, adolescência e velhice). Essa alteração normalmente é reversível durante a puberdade. Em outras palavras, nessa época da vida, a ginecomastia é considerada uma condição benigna, tratável e corrigível.

A maioria dos homens que apresentam essa alteração são viris, mas o contorno feminino de seus seios é uma causa importante de constrangimento.

O normal no homem é não haver tecido mamário palpável. A ginecomastia apresenta-se como uma massa na área mamária, palpável, que varia de 1,0 a 10 cm de diâmetro. Normalmente, apresenta-se unilateralmente, podendo desenvolver-se, após meses ou até mesmo anos na outra mama. Quando há o comprometimento das duas mamas, pode haver assimetria e o histórico de desenvolvimento é importante.

Não  é comum haver alterações significativas no mamilo e na aréola, embora possa ocorrer hipertrofia dos mamilos e alargamento das aréolas. As manifestações clínicas limitam-se apenas à massa palpável e leve dor à palpação, especialmente nos adolescentes. No entanto, na maior parta dos casos, a doença é assintomática.

As diferentes etiologias dessa condição determinam a abordagem terapêutica indicada. Uso abusivo de bebidas alcoólicas e maconha pode predispor ao surgimento da ginecomastia. A causa mais comumente encontrada é a elevação dos níveis de estrógeno, uma redução dos andrógenos, ou um déficit nos receptores androgênicos.

Quando a causa desencadeante do surgimento dessa condição for a puberdade, recomenda-se esperar no mínimo dois anos para observar se haverá regressão espontânea. Tem sido descritos que garotos que ingerem esteróides, na pressa de alcançarem resultados satisfatórios na academia, desenvolvem ginecomastia, que nesse caso, só pode ser corrigida cirurgicamente.

Para o planejamento cirúrgico, os especialistas consideram três classificações:

  • Grau I: um botão de tecido glandular encontrado concentrado ao redor da aréola que, geralmente são de fácil remoção; tórax não gorduroso, sem excesso de pele.
  • Grau II: ginecomastia difusa em tórax com mais tecido gorduroso, onde as margens do tecido não são bem definidas. É freqüente que haja a associação da lipoaspiração do tecido gorduroso encontrado ao redor.
  • Grau III: ginecomastia difusa com grande excesso de pele. Estes pacientes precisam de incisões externas à aréola, na pele, ou reposicionamento do complexo aréolo-papilar ou as duas em associação.

A técnica utilizada pelo especialista irá depender do tipo de ginecomastia e de sua severidade. Existem três técnicas que podem ser utilizadas separadamente ou associadas: lipoaspiração, lipoaspiração ultrassônica e mamoplastia redutora.

Os problemas mais comuns relacionados à cirurgia são possíveis irregularidades na superfície mamária e alterações no formato ou na posição do mamilo. O edema pós-operatório dura aproximadamente 10 dias e o déficit de sensibilidade local normalmente é transitório.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ginecomastia
http://www.copacabanarunners.net/ginecomastia.html
http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3920&ReturnCatID=1762
http://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/1287/ginecomastia.htm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças