Miopatia Nemalínica

Por Débora Carvalho Meldau
A miopatia nemalínica (MN), denominada também miopatia do bastão ou miopatia nemalínica do bastão, refere-se a um grupo de desordens neuromusculares de etiologia genética, que se caracteriza por leva à fraqueza muscular.

A fraqueza muscular presente nesta desordem é resultante do acúmulo de corpúsculos bastonetiformes (bastões lineares) nas fibras musculares, especialmente na periferia dessas últimas.

Até o momento, foram identificadas cinco mutações em genes diferentes, que levam à presença de bastões lineares nas fibras musculares. Os genes são: ACTA1, NEM2, TPM3, TPM2 eTNNT1.

Esta doença foi identificada pela primeira vez no ano de 1958, pelo médico australiano Douglas Reye. Contudo, o estudo realizado por esse médico nunca foi publicado, pois outro colega seu de profissão acreditava que os bastões lineares encontrados nas fibras musculares tratavam-se, na realidade, de falhas da biópsia. Somente após quarenta anos foi que ficou confirmado o diagnóstico de miopatia nemalínica no paciente estudado pelo Dr. Reye.

Clinicamente, esta doença pode ser classificada em branda (leve), moderada, severa (grave) ou tardia. Contudo, essa distinção geralmente é imprecisa e difícil.

A principal manifestação clínica desta patologia é a fraqueza dos músculos proximais, especialmente dos músculos respiratórios. Indivíduos que apresentam o quadro severo de MN são afetados por esse sintoma desde o nascimento, enquanto que nos casos brandos ou moderados, a princípio, os portadores aparentam ser saudáveis. Bebês com esta condição apresentam hipotonia, enquanto que os adultos possuem um corpo delgado bem característico.

Embora as crianças com esta condição possam andar, começam a andar tardiamente quando comparadas às demais crianças. Portadores da forma severa de MN tipicamente apresentam limitações de movimentos e necessitam de cadeira de rodas em tempo integral. Em decorrência da fraqueza muscular, estes pacientes são mais propensos a desenvolverem escoliose. Além disso, é comum que estes indivíduos apresentem osteoporose.

Os problemas respiratórios são uma das maiores preocupações em pacientes com MN. Bebês com a forma severa da doença apresentam dificuldade para respirar durante ou logo após o nascimento. Contudo, pacientes com a forma branda e moderada da MN não apresentam comprometimento respiratório tão aparente.

Problemas de deglutição também são comuns, uma vez que a fraqueza dos músculos do pescoço geralmente faz parte da MN. Indivíduos que apresentam a forma severa da doença são incapazes de deglutir os alimentos. Já quem apresenta as formas branda e moderada comumente recebem a maior parte ou todas as refeições por via oral.

O diagnóstico costuma ser alcançado através de uma biópsia muscular, com posterior análise histológica do material, na qual é observado um padrão distinto de estruturas, os corpúsculos bastonetiformes. Contudo, estas estruturas também podem ser encontradas em outras condições relacionadas, sendo importante, portanto, fazer a correlação da biópsia com o histórico, quadro clínico apresentado pelo paciente e/ou testes moleculares para a MN.

Embora não haja cura para esta doença até o momento nem forma de interromper sua progressão, o tratamento sintomático é importante para prolongar a vida do portador da MN e envolve:

  • Ventilação noturna;
  • Tubo alimentar;
  • Fisioterapia;
  • Fonoaudiologia;
  • Atividade física;
  • Uso de antibióticos, uma vez que infecções pulmonares são frequentes em pacientes com MN.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Miopatia_nemal%C3%ADnica
http://ghr.nlm.nih.gov/condition/nemaline-myopathy
http://www.muscular-dystrophy.org/about_muscular_dystrophy/conditions/113_nemaline_myopathy

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.