Fibra muscular

Graduada em Ciências Biológicas (UNISUAM, 2010)
Graduada em Zootecnia (FAGRAM, 2006)

As células musculares são conhecidas como fibras musculares ou também como miócitos. São células alongadas, podendo ter um ou mais núcleos. Elas irão formar os tecidos musculares, que poderão ser de três tipos: muscular estriado cardíaco, muscular estriado esquelético ou muscular liso, cada um possuindo características funcionais e morfológicas próprias. No entanto, estes tipos de fibras musculares possuem em comum a característica a capacidade de gerar movimento pela contração. Isso se deve à presença de proteínas contráteis, principalmente actina e miosina. Estas proteínas estão organizadas de diferentes formas em cada tipo de tecido muscular. A cor avermelhada das fibras musculares é devido à mioglobina, uma proteína semelhante à hemoglobina presente nos glóbulos vermelhos, que cumpre o papel de conservar O2 que vem da circulação para o metabolismo.

Os tecidos musculares estriado cardíaco e estriado esquelético apresentam as proteínas organizadas em estriações, também conhecidas como bandas transversais. Já o tecido muscular liso não apresenta este tipo de organização com estriações, sendo essencialmente liso.

Característica das fibras:

  • Fibras Musculares Estriadas Esqueléticas: suas células possuem o formato de longos cilindros, com seu comprimento podendo variar de acordo com o músculo a que pertencem. Possuem mais de um núcleo e eles se situam próximo à membrana da célula. Possuem bandas ou estriações transversais;
  • Fibras Musculares Estriadas cardíacas: as células têm o formato de curtos cilindros, com um ou dois núcleos no centro da célula. Assim como as fibras musculares estriadas esqueléticas, as cardíacas também possuem estriações. Devido ao seu comprimento curto, as fibras se aderem umas às outras pelas suas extremidades, através de comunicações chamadas de junções intercelulares;
  • Fibras Musculares Lisas: as células têm o formato fusiforme, o que significa que são alongadas e com as extremidades mais estreitas que o centro. Ao contrário das fibras estriadas, as lisas não possuem estriações.

As células musculares estriadas apresentam pacotes muito finos de fibras contráteis em seu citoplasma, conhecidas como miofibrilas. O conjunto das duas principais proteínas, miosina (espessura grossa) e actina (espessura fina), corresponde à miofibrila. As estriações transversais são originárias das duas principais proteínas. As estriações das fibras só podem ser observadas em células com corte longitudinal, entretanto, os núcleos podem ser melhor observados em cortes transversais.

Os filamentos de miosina irão formar as bandas escuras (banda A), enquanto os filamentos de actina, irão formar as bandas claras (banda l). A banda A possui uma faixa mais clara - conhecida como banda H - que pode ser observada com mais facilidade quando os músculos estão relaxados e vai se tornado cada vez menos perceptível à medida que o músculo se contrai. Na banda l é vista uma linha mais escura, conhecida como linha Z, e cada unidade de repetição desta linha é chamada de sarcômero (ou miômero), sendo esta a unidade contrátil da célula muscular. Quando ocorre o encurtamento dos sarcômeros, toda célula muscular irá se contrair.

Deve-se ter especial atenção para que não haja confusão com o termo fibras musculares - que são células - com as fibras do tecido conjuntivo, que são acelulares, formadas pela associação de diversas macromoléculas e que se chamam fibras por também serem alongadas.

Referencia Bibliográfica:

http://www.icb.usp.br/mol/8-2-musc2.html

http://www.ufrgs.br/livrodehisto/pdfs/5Muscular.pdf

Ferreira, Alice Teixeira. Fisiologia da Contração Muscular. Revista Neurociências V13 N3 (supl-versão eletrônica) – jul/set, 2005

Dvir Z. Isocinética: avaliações musculares, interpretações e aplicações clínicas. 1ª ed. Barueri: Manole; 2002