Pseudocistos de pâncreas

Por Débora Carvalho Meldau
O pseudocisto de pâncreas, ou pseudocisto pancreático, é em uma coleção de líquido semelhante a um cisto pancreático quando observado em exames imagiológicos, distinguindo-se ambos pelo revestimento, sendo que o cisto verdadeiro é revestido por epitélio, enquanto que o pseudocisto é revestido por um tecido de granulação.

Habitualmente, os pseudocistos consistem em complicação da pancreatite, apesar de em crianças ser comum após traumas abdominais. As pancreatites agudas podem resultar na obstrução dos ductos pancreáticos, com consequente extravasamento de enzimas pancreáticas que acabam por digerir os tecidos circunvizinhos. Como resultado, há o acúmulo de líquido composto por enzimas pancreáticas, sangue hemolisado e restos necróticos dos tecidos adjacentes ao pâncreas.

Algumas das porções de líquido formadas desaparecem com o tempo, com o paciente recuperando-se do quadro agudo de pancreatite. Já outras, dentro de algumas semanas, organizam-se dentro de uma parede espessa de tecido de granulação e fibrose, originando os pseudocistos.

As manifestações clínicas comumente apresentada pelos pacientes são: dores abdominais; sensação de inchaço ou má digestão de alimentos; uma dor aguda no abdômen ou complicações ligadas ao pseudocisto, como, por exemplo, infecção do pseudocisto por um cisto pancreático; sangramento no pseudocisto ou obstrução por compressão de partes do intestino pelo pseudocisto.

A forma de diagnóstico preferencial é por meio da tomografia computadorizada, na qual é observada uma massa repleta de fluído no pâncreas. Outros exames de imagem também podem ser utilizados, como é o caso da ultra-sonografia e da colangiopancreatografia por ressonância magnética.

O tratamento de pequenos pseudocistos, que não estão causando problemas ao paciente, pode ser do tipo conservador. Contudo, a maior parte deles deve ser tratada, sendo que existem algumas formas distintas de tratamento, que são:

  • Tratamento cirúrgico: cria-se uma conexão entre o pseudocisto e uma alça intestinal adjacente ou estômago, possibilitando a liberação de seu conteúdo para alguma dessas cavidades;
  • Laparoscopia;
  • Drenagem do pseudocisto por um radiologista: esse especialista insere uma agulha fina no pseudocisto, guiado por imagens radiográficas, drenando todo o fluído do pseudocisto;
  • Drenagem do pseudocisto por imagem endoscópica: a drenagem do pseudocisto ocorre através de uma pequena fístula criada no estômago durante o procedimento endoscópico.

Fontes:
http://www.scielo.br/pdf/jpneu/v28n3/a09v28n3.pdf
http://en.wikipedia.org/wiki/Pancreatic_pseudocyst
http://emedicine.medscape.com/article/184237-overview
http://www.surgery.usc.edu/divisions/tumor/pancreasdiseases/web%20pages/PANCREATITIS/pancreatic%20pseudocys1.html

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.