Pancreatite

A pancreatite é um processo inflamatório no pâncreas. Este é  um órgão localizado na região superior do abdômen, atrás do estômago, responsável por algumas funções como a produção de insulina e produção de parte das enzimas necessárias para a digestão dos alimentos.

A pancreatite pode ser do tipo aguda ou crônica, sendo que existem duas principais causas responsáveis pela maioria dos casos:

  • Cálculos biliares: a bile (produzida pelo fígado) e as enzimas produzidas pelo pâncreas vão para o intestino através de pequenos canais, e por fim, um canal em comum para os dois órgãos. Quando há a presença de um cálculo, há a obstrução do fluxo para o intestino, podendo resultar em uma pancreatite.
  • Uso excessivo de álcool: uso crônico de grande quantidade de bebida alcoólica pode levar tanto a episódios agudos de pancreatite como à pancreatite aguda.

Outras causas menos comuns são:

  • Uso de determinados medicamentos;
  • Infecções virais como, por exemplo, a caxumba;
  • Traumatismo abdominal;
  • Excesso de funcionamento da glândula paratireóide;
  • Excesso de triglicerídeos na corrente sanguínea;
  • Malformações do pâncreas;
  • Exames com uso de contrastes nos canais biliares e pancreáticos.

A pancreatite aguda normalmente inicia-se com dor abdominal na parte superior que pode durar alguns dias. A sensação dolorosa pode ser severa e tornar-se constante (apenas no abdômen) ou atingir as costas e outras regiões; pode ser súbita e intensa, ou começar com uma leve dor que fica pior quando algum alimento é ingerido. Pacientes com esse tipo de pancreatite geralmente aparentam estar muito doentes. Outros sintomas observados são: abdômen inchado e macio, náuseas, vômito, febre e pulso acelerado.

No caso da pancreatite crônica, a grande maioria dos pacientes apresentam dor abdominal, embora alguns não sintam dor alguma. A dos pode piorar quando o paciente ingere algum alimento, espalhando-se para as costas e tornando-se constante e debilitante. Pode acontecer de desaparecer a dor abdominal à medida que a pancreatite evolui. Isso provavelmente acontece porque o pâncreas já não está mais produzindo enzimas digestivas. Outros sintomas são: náuseas, perda de peso e fezes gordurosas.

O diagnóstico é feito através do historio e exame clínico, juntamente com exames laboratoriais e de imagem, como exame de sangue, ultra-sonografia e radiografia do abdômen.

Na fase de dor aguda, o procedimento mais importante é o jejum absoluto em associação com hidratação feita por meio de soro endovenoso; para aliviar a dor são administrados analgésicos. Em seguida, deve ser feito o planejamento de uma dieta pobre em gordura e rica em carboidratos.

Quando a pancreatite está associada com cálculos biliares, pode ser necessária a realização de uma endoscopia digestiva superior com colangiografia e, caso haja, remoção dos cálculos que estiverem obstruindo o fluxo biliar.

A prevenção da pancreatite crônica é feita por meio do consumo moderado de bebidas alcoólicas. Pessoas que já tiverem pancreatite devido à ingestão excessiva de álcool devem suspender definitivamente o seu uso, objetivando não exacerbar novas crises e evitar que a insuficiência pancreática progrida. Nos casos de pessoas com cálculo biliar que já tiveram crises de pancreatite, devem discutir com o seu médico a possibilidade da realização de cirurgia para a retirada da vesícula, evitando, assim, futuras crises.

Fontes:
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?318
http://www.copacabanarunners.net/pancreatite-cronica.html
http://www.copacabanarunners.net/pancreatite-aguda.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pancreatite
http://www.drauziovarella.com.br/ExibirConteudo/2563/pancreatites

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças digestivas