Merla

Por Marina Martinez
A junção das folhas da planta Erythroxylon coca, popularmente conhecida como coca ou epadú, com alguns solventes como ácido sulfúrico, querosene, cal virgem, entre outras substâncias, formam uma consistência pastosa, com odor forte e coloração entre amarelo e marrom, chamada de merla.

Numa pasta de merla existe cerca de 40 a 70% de cocaína presente, sendo considerada uma droga altamente perigosa, que causa dependência física e psicológica em seus usuários, além de provocar diversos danos ao organismo.

 

A merla pode ser fumada pura ou adicionada a cigarros de tabaco ou até mesmo de maconha, sendo absorvida rapidamente pelo pulmão. Assim que chega a este órgão, a merla atinge a circulação cerebral, e seus efeitos aparecem em torno de 10 a 15 segundos depois.

Os efeitos da droga são muito rápidos e intensos. Uma sensação intensa de prazer e euforia toma conta do indivíduo, que para sentir novamente estas sensações, volta a usar a droga inúmeras vezes. O nome para essa vontade constante e repetida de utilizar a droga chama-se "fissura", que é um desejo avassalador de sentir os efeitos do "prazer" provocados pela droga novamente.

As inalações de quantidades elevadas de merla levam o indivíduo a comportamentos violentos, aumento da irritabilidade, tremores, insegurança, alucinações e delírios. Além disto, nota-se que há um aumento das pupilas (midríase), o que prejudica a visão do usuário, como também dores no peito, contrações musculares, convulsões, taquicardia, coma e pode levar o indivíduo até mesmo a um óbito, devido à diminuição de atividade dos centros cerebrais que controlam a respiração.

Os efeitos da droga duram cerca de quinze minutos, sendo a primeira sensação a do bem-estar intenso e energia revigorada. Uma característica predominante no usuário da merla é a presença do cheiro forte de querosene, éter e outras substâncias, que o corpo exala na eliminação (pela transpiração intensa). Isto acontece devido aos produtos químicos adicionados durante a preparação da droga.

Geralmente a droga é consumida em grande parte por usuários com a faixa etária de 16 a 18 anos, prevalecendo mais em rapazes, onde o consumo é de cerca de 80%, e em 20% por mulheres. Devido a estes dados o uso da merla é relativamente fácil de ser identificado.

Infelizmente, o tratamento para os dependentes da droga é muito difícil e requer vigilância constante. Muitos não aguentam a síndrome de abstinência ou até mesmo a depressão causada pelo uso contínuo, o que leva cerca de 20% dos usuários ao suicídio.

Referências Bibliográficas:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Merla
http://portal.saude.gov.br/portal/sas/mental/visualizar_texto.cfm?idtxt=23169
http://www.antidrogas.com.br/merla.php