Adam Smith

Adam Smith foi um economista e filósofo escocês, nascido em 1723. É considerado como aquele que mais contribuiu para a moderna percepção da economia de livre mercado. Segundo seu livro mais importante, “Uma investigação sobre a natureza e a causa da riqueza das nações", a riqueza das nações e dos indivíduos em geral eram frutos de seus interesses próprios (self-interest), sendo que o bem que todos os indivíduos proporcionam não são auto percebidos. Em suas próprias palavras, "não é da benevolência do padeiro, do açougueiro ou do cervejeiro que eu espero que saia o meu jantar, mas sim do empenho deles em promover seu próprio 'auto-interesse'". Portanto, era defensor do livre mercado, em que forças invisíveis fizessem com que os comerciantes e industriais brigassem por descobertas de novas tecnologias para o aprimoramento de seus serviços, fazendo com que o preço de suas mercadorias declinasse e houvesse geração de novos empregos.

O trabalho de Smith ajudou a construir a fundação de disciplinas modernas acadêmicas de livre mercado e providenciou um dos melhores tratados intelectuais sobre capitalismo e liberalismo.

Foi conhecido melhor pela sua teoria “deixai fluir livremente”* (laissez-faire), que se prostou contra associações no Século XVIII na Europa. Acreditou no direito de influência livre do mercado, sem um supervisor, como o Estado ou associações. Sua teoria influenciou o começo da industrialização da Europa, e mudou muito dela em um domínio de comercio livre, provocando a emergência de empreendores. Foi conhecido também como o pai da Economia.

Foi um critico da política da Inglaterra (e de outros paises metrópoles da época) perante sua colônia, os Estados Unidos, com seus altos impostos e as situações de monopólio. Dizia que estas altas restrições iriam acabar por criar ira nos americanos, fazendo com que os mesmos revoltassem-se contra a Inglaterra. A solução, segundo ele, seria acabar com estas medidas extremas de protecionismo e conceder uma participação política dos americanos em território inglês.

Após sua morte, foi-se descoberto que boa parte de seus rendimentos foram destinados a obras secretas de caridade. Foi descrito por seus contemporâneos como um intelectual excêntrico porém benevolente.

Arquivado em: Economia