Concentração de renda

Concentração de renda é uma expressão que descreve um processo de acumulação de renda por parte de uma coletividade, país ou mesmo conjunto de países, em detrimento do restante do grupo. É geralmente utilizada para descrever as desigualdades encontradas no Brasil ou mesmo no mundo inteiro, com referência à disparidade entre países ricos e pobres.

A concentração de renda pode ser mensurada de diversas formas. Geralmente, ela é deduzida somando-se a riqueza captada pelos países mais ricos. O número é então comparado com a soma da riqueza acumulada pelos países mais pobres. Assim, os números obtidos pelos 10% mais ricos e 10% mais pobres são confrontados, e quanto maior o contraste entre os resultados, diremos que maior será a concentração de renda por parte dos mais ricos. Esta é uma forma bem simples de estabelecer este conceito. Na verdade, existem métodos bastante conhecidos para aferir a concentração de renda: os dois mais conhecidos são o Coeficiente de Gini e o Índice de Theil.

De acordo com as Nações Unidas, quase 90% da riqueza mundial pertence a moradores da América do Norte, Europa e de países de renda elevada na região Ásia-Pacífico, como o Japão e a Austrália. Os 50% mais pobres da população respondem por apenas 1% da riqueza do planeta. Esta riqueza é concentrada de tal maneira, que dividíssemos a renda mundial de maneira equitativa, cada pessoa teria de ativos da ordem de US$ 20,5 mil.

No ano de 1997, os 10% mais ricos se apropriavam de, aproximadamente, 50% da renda total, enquanto que os 50% mais pobres se apropriavam de pouco mais de 10% da renda total. A parcela de renda recebida pelos 1% mais ricos era maior (13,8%) que a parcela de renda recebida pelos 50% mais pobres (11,8%). A renda média do 1% mais rico era quase 59 vezes maior que a renda média dos 50% mais pobres. Mesmo os países de renda média e com nível de crescimento elevado ainda precisam avançar muito antes de atingir patamar de prosperidade semelhante ao das nações mais ricas.

Quase um terço do patrimônio dos 10% mais ricos está nos EUA. Já o Brasil, com 2,8% da população mundial, possui 1,3% da riqueza. Os 10% mais ricos do Brasil têm 1,5% do patrimônio correspondente dos 10% mais ricos do mundo. Quando a comparação é feita em relação aos 10% mais pobres, os brasileiros dessa faixa possuem 1,9% do patrimônio. Tais números demonstram que ainda há uma elevada concentração de renda no Brasil relativamente aos demais países, mesmo com o esforços governamentais praticados nas últimas décadas.

Bibliografia:
DOS SANTOS, Moisés Pais. Uma proposta de melhora do índice de desenvolvimento humano municipal a partir do caso do Estado de São Paulo. Disponível em: <http://www.metodista.br/ppc/revista-ecco/revista-ecco-01/uma-proposta-de-melhora-do-indice-de-desenvolvimento-humano-municipal-a-partir-do-caso-do-estado-de-sao-paulo1/ >.

Só 2% concentram metade da riqueza mundial, diz estudo. Disponível em: < http://www.ufcg.edu.br/prt_ufcg/assessoria_imprensa/mostra_noticia.php?codigo=4339 >.

Arquivado em: Economia, Sociedade