Ginástica laboral

A ginástica laboral é uma prática que tem como principal objetivo prevenir patologias relacionadas às atividades laborais e incentivar os colaboradores à prática de atividades físicas, enfatizando a importância para a melhora na qualidade de vida e manutenção da saúde. A ginástica laboral geralmente é realizada no posto de trabalho ou em algum espaço especifico dentro da empresa, tendo a duração média de quinze minutos, podendo ser realizada diariamente, três vezes por semana ou conforme a frequência que a empresa disponibiliza.

A ginástica laboral possui algumas classificações, podendo assim focar no objetivo principal conforme a necessidade dos colaboradores. A partir do tempo disponibilizado, podem ser trabalhados especificamente cada um desses objetivos. As classificações da ginástica laboral podem ser feitas pelo horário de realização, como:

  • Preparatória: tem como objetivo preparar o organismo para o trabalho físico, melhora a oxigenação tecidual, aumento de frequência cardíaca, melhora disposição e concentração. Nessa classificação tem a duração média entre 10 e 12 minutos, onde são realizados exercícios de coordenação, equilíbrio, concentração, flexibilidade e resistência muscular. Realizada no início das atividades.
  • Compensatória: realizada durante a jornada de trabalho, buscando o alívio de qualquer tensão muscular decorrente do uso excessivo da estrutura por má postura ou pelo esforço excessivo. Auxilia na remoção de resíduos metabólicos, correção postural e prevenção de fadiga muscular. Trabalha especificamente exercícios de correção de postura, flexibilidade, alongamentos e exercícios respiratórios.
  • Relaxamento: realizada ao final da jornada de trabalho, tem como principal objetivo o alivio de tensões e diminuição do estresse, onde são feitas automassagens, exercícios respiratórios, alongamentos e meditação.

As classificações da ginástica laboral também podem ser feitas através dos objetivos principais dos exercícios, como:

  • Ginástica corretiva/postural: relacionada ao equilíbrio entre as musculaturas agonista e antagonista, envolvendo alongamento e fortalecimento de musculaturas em pouco uso. Tem a duração média de dez minutos, podendo ser realizada todos os dias ou três vezes por semana.
  • Ginástica de compensação: objetiva a prevenção de adaptações e compensações posturais. São realizados exercícios simétricos e alongamentos por até dez minutos.
  • Ginástica terapêutica: objetiva o tratamento de distúrbios, patologias e alterações posturais, conforme as principais queixas. Necessita de um local apropriado e tem a duração média de trinta minutos.
  • Ginástica de manutenção/conservação: programa onde se busca manter os resultados decorrentes de um trabalho de condicionamento físico, após alcançar o equilíbrio muscular e as correções necessárias. Necessita de uma sala especial para o treinamento, utilizando o tempo de folga, com duração média entre quarenta e cinco e noventa minutos.

A prática da ginástica laboral envolve aspectos como a valorização do colaborador, a preocupação da empresa com a saúde dos seus colaboradores, o desenvolvimento do trabalho com qualidade, a prevenção de patologias e oferecer um bom ambiente para trabalhar. A partir desses aspectos, a ginástica laboral acaba se encaixando no que tange à boa qualidade de vida e conservação da boa saúde, demonstrando essa preocupação com os colaboradores, fazendo com que o trabalho não seja uma atividade desgastante e que possa comprometer a funcionalidade do indivíduo.

Com a prática da ginástica laboral, aos poucos os empresários acabam concluindo que a preservação e manutenção da saúde acabam refletindo no rendimento de seus colaboradores, uma vez que os mesmos deixarão de faltar o trabalho por motivos de saúde, fazendo com que a produção seja mantida ou até mesmo aumentada devido à permanência do colaborador em um ambiente de trabalho saudável. Aos poucos, as empresas acabaram mudando suas prioridades, não se restringindo apenas aos aspectos de produção, mas sim em manter a boa qualidade de vida de seus funcionários.

Bibliografia:

Associação Brasileira de Ergonomia (2004). Definição internacional de ergonomia. Internet: http://www.abergo.org.br . Acesso em 03/2016.

CODO, W. (1998). Providências na organização do trabalho para a prevenção da LER. In W. Codo & M. C. C. G. Almeida (Org.). Lesões por Esforços Repetitivos: Diagnóstico, Tratamento e Prevenção: uma abordagem multidisciplinar. Petrópolis: Vozes.

Ergofisio (2004). Ginástica laboral. Internet: http://www.ergofisio.com.br/ginasticalaboral.htm. Acesso em 02/2016.

Arquivado em: Educação Física